domingo, 16 de janeiro de 2022

DIVULGAÇÃO | Otimismo e Saúde, de Luis Rojas Marcos | Pergaminho - Grupo Bertrand-Círculo

 

Redacção com Grupo Bertrand-Círculo

Foto: D.R.

Depois de quase dois anos a viver uma pandemia mundial, todos devíamos ler Otimismo e Saúde, do psiquiatra e autor de bestsellers Luis Rojas Marcos. Neste livro, o autor demonstra como sentir e pensar positivo é um investimento extremamente rentável para desenvolver a nossa capacidade de sermos felizes e saudáveis.

«A confiança nas nossas capacidades para gerir situações imprevistas ou perigosas é um ingrediente importante para a resiliência. Graças a estas funções executivas podemos regular as emoções e gerir as circunstâncias, incluindo procurar informação clara e fiável que nos ajude a estabelecer prioridades e manter os pés assentes na terra. Especialmente importante nesses momentos é a esperança que nos anima a confiar nas nossas capacidades e nos dá o alento de que necessitamos para neutralizar o fatalismo e não desistirmos. Como disse, com razão, em tempos remotos um mestre da medicina: podemos viver três dias sem beber água, sete minutos sem ar mas apenas poucos segundos sem esperança. No mesmo sentido, um conhecido explorador, a quem mencionei o projeto de escrever este livro, disse-me: “Olha, Luis, para sobreviver perdido nas montanhas ou na neve tem grande influência a boa preparação e ter um bom equipamento. Mas na hora da verdade, o que com frequência separa os vivos dos mortos não é o que levam na mochila, mas sim na mente.”», partilha o autor.

Com mais de 300 mil exemplares vendidos, Otimismo e Saúde ensina, sobretudo, que otimismo não é ver o copo meio cheio, é acreditar que temos capacidades para encher o copo até cima – e as forças para desenvolver essas capacidades.

sábado, 15 de janeiro de 2022

ACTUALIDADE LITERÁRIA | Raul Minh´alma foi o autor mais vendido em Portugal pelo 2º ano Consecutivo | Grupo Presença - Manuscrito


 Texto: Redacção com Grupo Editorial Presença

Foto: D.R.


O Grupo Editorial Presença e a chancela Manuscrito  anunciaram que, pelo segundo ano consecutivo  o autor português mais vendido em Portugal em 2021 foi Raul Minh'alma. 


Os dados são da GfK, e confirmam a preferência dos leitores pelo escritor, que reage à notícia com satisfação: «Faz-me sentir orgulhoso e honrado pelo carinho do público português. Faz-me também olhar para trás e para este percurso de escrita de mais de dez anos e sentir que valeu a pena e que os passos foram dados na direção certa.»

Aos 29 anos, Raul Minh'alma tem surpreendido o mundo com a maturidade emocional que revela nos seus textos e romances, e com as mensagens construtivas que faz questão de partilhar. «Eu acredito que o que trouxe de novo foram livros que combinam histórias de amor com desenvolvimento pessoal na dose certa e num estilo fresco. As pessoas sabem que não são apenas histórias de amor, sabem que elas passam mensagens importantes e que quando pegam num livro meu vão emocionar-se, entreter-se, mas também aprender alguma coisa que lhes será útil. E é isso que talvez faça a diferença na minha escrita.» 


Pelas mensagens que transmitem, os livros de Raul Minh'alma levam, muitas vezes, os leitores a refletir sobre as suas vidas e relacionamentos. Por essa razão, muitas vezes essa reflexão leva a mudanças para melhor. Assumindo que o seu público é maioritariamente feminino, o autor explica que «são pessoas que gostam de uma boa história de amor e que têm curiosidade por temas de desenvolvimento pessoal. Pessoas que querem evoluir enquanto seres humanos. Por conta disso, recebo muitas opiniões sobre o quão importante foram os meus livros em determinada fase na vida dos meus leitores porque, de alguma forma os ajudaram. Muitas, muitas pessoas me confidenciam que os meus livros as ajudaram de alguma forma e esse é o maior elogio e o maior prémio que posso receber.»

Esta é mais uma entre muitas conquistas do escritor que, em 2020, foi o autor (português ou estrangeiro) mais vendido em Portugal. A par disso, o seu livro «Foi sem querer que te quis» foi o mais vendido em Portugal durante o ano de 2019. No que toca ao caminho que tem vindo a percorrer, Raul Minh'alma revela que «foi uma carreira pensada e desenvolvida com cuidado, paciência e trabalho. Procurei sempre aprender com os outros o que fazer e, especialmente, o que não fazer. Encontrar o meu lugar e ser o melhor nesse lugar. Posso ser o mais vendido, mas nunca me sento à sombra do meu sucesso. Agradeço profundamente tudo o que tenho e tudo o que conquistei, mas continuo a encarar cada ano como se começasse do zero e tivesse de conquistar tudo de novo. Como se depois de cada livro ninguém mais soubesse quem sou e tivesse de conquistar todos os leitores de novo. Não dou nada como garantido (até porque nada é). Por isso, o meu futuro será sempre um recomeçar constante. 

Os livros de Raul Minh'alma são editados pela chancela Manuscrito (Grupo Editorial Presença) desde 2016: Larga quem não te agarra (2016), Todos os dias são para sempre (2017), Dá-me um dia para mudar a tua vida (2018), Foi sem querer que te quis (2018), Ganhei uma vida quando te perdi (2019), Durante a queda aprendi a voar (2020) e Se me amas não te demores (2021).


sexta-feira, 14 de janeiro de 2022

AUTOR NACIONAL | Francisco José Viegas | Porto Editora


 Foto: D.R.

Texto: Comunicação Porto Editora com Redacção


Francisco José Viegas

Nasceu em 1962. Professor, jornalista e editor, é responsável pela revista Ler e foi também diretor da revista Grande Reportagem e da Casa Fernando Pessoa. 

De junho de 2011 a outubro de 2012 exerceu o cargo de Secretário de Estado da Cultura. Colaborou em vários jornais e revistas e foi autor de vários programas na rádio (TSF e Antena 1) e televisão (Livro Aberto, Escrita em Dia, Ler para Crer, Primeira Página, Avenida Brasil, Prazeres, Um Café no Majestic, A Torto e a Direito, Nada de Cultura). 

Da sua obra destacam-se livros de poesia (Metade da Vida, O Puro e o Impuro, Se Me Comovesse o Amor) e os romances Regresso por um Rio, Crime em Ponta Delgada, Morte no Estádio, As Duas Águas do Mar, Um Céu Demasiado Azul, Um Crime na Exposição, Um Crime Capital, Lourenço Marques, Longe de Manaus (Grande Prémio de Romance e Novela da Associação Portuguesa de Escritores 2005), O Mar em Casablanca, O Colecionador de Erva, A Poeira que Cai sobre a Terra e Outras Histórias de Jaime Ramos e A Luz de Pequim (Prémio Fernando Namora 2020 e Prémio PEN 2020 Narrativa).

Encontra-se já disponível nas livrarias, desde 13 de Janeiro de 2021 o livro "Morte no Estádio", com chancela da Porto Editora trata-se do romance onde, em 1991, aparecia pela primeira vez o inspetor Jaime Ramos – que, ao longo de trinta anos, tem sido personagem de livros como Longe de Manaus, A Luz de Pequim, O Mar em Casablanca, ou A Poeira que Cai Sobre a Terra e Outras Histórias de Jaime Ramos, entre outros.


quinta-feira, 13 de janeiro de 2022

ESQUINA DAS PALAVRAS | Torre da (des)ventura | Texto: Isabel de Almeida, Ilustração: Nuno Gonçalves | Palavras Ilustradas


 Poema de Isabel de Almeida, originalmente escrito em 2019 no âmbito do projecto Palavras Ilustradas, com base na Ilustração de Nuno Gonçalves.

Visite o projecto Palavras Ilustradas no Facebook aqui encontrará este e outros contributos artísticos de vários autores , clique AQUI


quarta-feira, 12 de janeiro de 2022

LER & APRENDER | Nova SBE Lança Livro infantil "Perguntas no Ar" para alunos e professores do 1º Ciclo | Cision com Nova CBE


Créditos: Cision e Nova SBE


Aceda ao livro gratuito em formato digital: AQUI

 A Nova School of Business & Economics (Nova SBE) lança o livro infantil “Perguntas no Ar”, uma obra destinada a crianças entre 7 e os 10 anos de idade e professores que lecionam para esta faixa etária, que aborda os antagonismos que vivemos de uma forma divertida, criativa e pedagógica, sem nunca mencionar a palavra “paradoxo”. O objectivo é instigar o pensamento paradoxal das crianças através da leitura desta obra.

 

O propósito deste livro, que está disponível gratuitamente em versão digital e impressa, é trazer perguntas que remetem a visões do mundo aparentemente opostas - Devemos sempre lutar pela paz? A liberdade de expressão tem limites? - apresentando os paradoxos como forças de regeneração das organizações e da sociedade, e de antídotos contra os antagonismos e as divisões — paradoxalmente, dir-se-ia, por vezes assumidos em nome da inclusão.

 

O livro “Perguntas no Ar” foi elaborado no âmbito do projeto European Forum on Paradox and Pluralism, um fórum financiado pela Comissão Europeia e que agrega cinco escolas de negócios europeias - Nova SBE (Portugal), CASS Business School   (Reino Unido), Escola de Economia e Gestão de Genebra (Suíça), LUISS Guido Carli (Itália)  e Rotterdam School of Management  (Holanda).


Com coordenação de Miguel Pina e Cunha (Nova SBE, Portugal), Aníbal Lopez (Nova SBE, Portugal) e Luca Giustiniano (Luiss University, Itália), a obra conta com textos de Isabel Minhós Martins (Planeta Tangerina) e ilustrações de Madalena Matoso (Planeta Tangerina).

 

Sinopse

Muitas das perguntas deste livro não têm uma resposta simples.

Muitas das perguntas deste livro vão dividir opiniões.

Existirem muitas opiniões é sempre uma coisa boa!

É sinal de que todos pensamos e de que não pensamos todos da mesma maneira.

É sinal de que há muitos pontos de vista, isto é, há muitas preocupações diferentes quando procuramos respostas para uma pergunta.

 

terça-feira, 11 de janeiro de 2022

CRÍTICA LITERÁRIA | O Desejo, de Nicole Jordan | Quinta Essência - Grupo LeYA


 Texto: Isabel de Almeida

Foto capa: DR


 “O Desejo”, de Nicole Jordan, traz-nos mais uma sensual narrativa de fundo histórico, cuja acção decorre na Inglaterra do Século XIX.


  Com início na belíssima região da Cornualha, terra de mistérios, maldições e contrabando, numa paisagem de sonho, encontramos aí a principal personagem feminina – Brynn Caldwell – uma beleza local, de flamejantes cabelos ruivos que irão enfeitiçar o belo, inteligente e obstinado Lord Lucian  Tremayne, Conde de Wycliff.


   Brynn vive julgando-se predestinada a ficar solteira, pois crê firmemente ser vítima de uma poderosa maldição cigana, lançada sobre as mulheres da sua família, porque uma sua antepassada teve a ousadia de roubar o amante a uma cigana.


 Devido a uma tragédia que assolou o seu passado, Brynn pensa não mais poder apaixonar-se, sob pena de arrastar para a morte quem com ela pretenda relacionar-se de forma apaixonada.


   Os Caldwell são uma família nobre em dificuldades financeiras, e à semelhança de outros  habitantes locais, dedicam-se ao comércio livre (contrabando), o que poderá trazer a Brynn alguns sérios dissabores, quando se tornar, a contragosto,  Condessa de Wycliff, acedendo ao pedido de casamento em troca de auxílio financeiro à sua família, e em especial, em troca de uma educação condigna para o seu pequeno irmão Theo, um jovem com especial apetência pelas curiosidades do mundo as ciências naturais, que sonha conhecer John Dalton (o famoso cientista Britânico).


   Grayson, o irmão mais velho de Brynn, é o chefe de família assolado pelas dificuldades de sustentar os irmãos e manter a casa, a questão é até onde irá ele arriscar em termos de legalidade? Será um traidor perigoso ou apenas um sobrevivente?


   Wycliff, um aristocrata com fama de libertino, é na verdade, um fiel servidor dos interesses da Coroa Britânica, é funcionário do Ministério dos Negócios Estrangeiros, trabalha em missões secretas, e procura combater todos os traidores que auxiliam Napoleão, então o principal inimigo da Inglaterra e de boa parte da Europa. É um homem atormentado pela necessidade de fazer conciliar o dever da profissão, com a descendência da sua família que deve ser assegurada. Vive também atormentado por um remorso quase irracional, devido a uma fatalidade da qual não tem culpa, em termos morais.


  Deixando a casa familiar, Brynn inicia a sua vida no seio da alta sociedade Londrina, vendo mudar todo o estilo de vida a que, até esse momento, estava habituada.  Tem de enfrentar os familiares do marido [que preferiam que este se mantivesse solteiro e sem herdeiros], as novas exigências sociais [festas particulares, idas ao teatro, novo guarda roupa, e um particular cuidado com as aparências e o saber estar socialmente, tão próprio deste contexto histórico onde decorre a acção].


   Em Londres, Brynn lutará consigo mesma para não se apaixonar pelo sedutor marido, Lucian, o qual fica rendido aos encantos da mulher, tudo fazendo para a conquistar, já que se sente completamente enfeitiçado e obcecado por esta, e vai estando sempre presente a dúvida acerca da natureza deste encantamento do Conde pela esposa, tratar-se-á de pura química amorosa iniciada com uma forte e imediata atracção física desde a primeira vez que a avista, ou será isto obra da poderosa e assustadora maldição cigana de que Brynn se julga vítima, e que afecta as mulheres da sua família?


   A par dos conflitos psicológicos internos das duas personagens centrais, vamos também acompanhando a carreira de chefe de espionagem de Lucian, Conde de Wycliff, e a luta deste contra os traidores que teimam em roubar ouro para favorecer Napoleão, prejudicando a Inglaterra, deixando atrás de si um rasto de morte de funcionários leais à coroa. O grande mistério que nos vai alimentando o suspense e levando a suposições, é a identidade do chefe dos criminosos, o perigoso e astuto Lorde Caliban.


   Nicole Jordan consegue manter o interesse permanente dos leitores neste poderoso e fascinante romance [que bem poderia ser passado para a tela de um cinema], além da reconstituição de época bastante detalhada e com pormenores históricos de relevo como as Guerras Napoleónicas [que dão o mote à história de espionagem e traição intercalada na narrativa principal], somos ainda brindados com uma completa construção de duas personagens fascinantes [Brynn e Lucian], e com uma personagem feminina bastante forte e com personalidade vincada, que se assume claramente predisposta a lutar contra o papel secundarizante habitualmente atribuído ao sexo feminino nesta época histórica.


   E o que ganha em intriga, reviravoltas e mistério, a obra não perde, de modo algum, em sensualidade, com cenas eróticas bastante detalhadas e requintadas, embora descritas em linguagem bastante elegante [considerando-se o contexto], denota-se o cuidado na tradução pela coerência revelada nestas cenas mais sensíveis. 


   O romantismo não é esquecido, pois que, pelo meio da fortíssima tensão sexual, vai nascendo naturalmente um grande amor. Conseguirão os protagonistas superar as adversidades e conquistar, a final, a paz que tanto desejam? Ou terá Brynn de sacrificar-se em nome do amor que acaba por a invadir?  A maldição cigana será verdade ou mera lenda?


   Recomendo a leitura desta obra, um livro fascinante e com um poder encantatório acima da média para quem gosta deste género literário.  Nicole Jordan não desaponta!


Ficha Técnica do Livro:


Autora: Nicole Jordan


Título: " O Desejo" 


Edição: Janeiro de 2013


Editora: Quinta Essência (Grupo LeYA)


Tradução: Sónia Mota Maia


Páginas: 399


Classificação: 5/5 estrelas

Nota: actualmente pode aceder a esta obra em formato digital adquirindo AQUI

segunda-feira, 10 de janeiro de 2022

AUTOR NACIONAL | António da Costa Neves | Saída de Emergência


 ANTÓNIO DA COSTA NEVES nasceu em 1945, em Grândola. É licenciado em História, pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, tendo, durante anos, publicado regularmente poesia em diversos jornais e revistas. Em 2006, o seu primeiro romance, Mataram o Chefe de Posto, sobre a temática da guerra colonial, ganhou o Prémio Literário Cidade de Almada. Depois disso iniciou uma frutuosa incursão pelo romance, contando atualmente com uma dezena de títulos, muitos dos quais igualmente premiados. Adamastor, um romance de 2008, foi objeto de ensaio académico e tema de seminário na Universidade de Coimbra, e o romance Mea Culpa! foi selecionado, em 2010, como obra de referência para o Concurso Nacional de Leitura do Ensino Secundário. No campo da poesia, o autor venceu o Prémio de Poesia e Ficção de Almada 2016 com a obra Trinta Sonetos Triviais.

Actualmente encontra-se em pré-lançamento a obra mais recente do autos, vencedora do prémio literário Cidade de Almada 2020, um romance histórico cujo protagonista é Geraldo sem pavor, um herói da nossa história - veja AQUI todos os detalhes sobre o romance do autor - O Sem Pavor, com chancela das Edições Saída de Emergência.