domingo, 3 de março de 2024

AUTORES INTERNACIONAIS | ITALO CALVINO

Italo Calvino nasceu nos arredores de Havana (Cuba), a 15 de outubro de 1923. Passou praticamente toda a sua vida em Itália, excetuando os treze anos em que viveu em Paris. Faleceu em Siena, a 19 de setembro de 1985. Calvino estudou em San Remo até aos 20 anos, ingressando então na Resistência contra o fascismo e a ocupação nazi, depois de aderir ao Partido Comunista, que abandonou em 1957. Terminada a Segunda Guerra Mundial, instalou-se em Turim, começando a trabalhar na Einaudi, que depressa se transformou numa das principais editoras italianas do pós-guerra. Já trabalhava na Einaudi (onde desempenhou um importantíssimo papel como consultor literário) quando concluiu a sua licenciatura em Letras. Com O Atalho dos Ninhos de Aranha (1947) deu início a uma surpreendente carreira literária, que viria a consagrá-lo como um dos maiores escritores italianos do século XX.
 

sábado, 2 de março de 2024

DIVULGAÇÃO | O CAVALEIRO INEXISTENTE, de ITALO CALVINO | DOM QUIXOTE


Ambientada numa improvável Idade Média, mas mais próxima do que nunca da realidade do nosso tempo, O Cavaleiro Inexistente é uma fantasia histórica sobre o eficientíssimo e meticuloso Agilulfo - cavaleiro que, afinal, mais não é do que uma armadura vazia - e o seu surpreendente escudeiro Gurdulu - que existe de facto, embora não saiba o que fazer à vida que tem, acabando por se perder entre as coisas do mundo.

Agilulfo, paladino de Carlos Magno, é um cavaleiro valente e nobre. Tem apenas um defeito: não existe. Ou melhor, a sua existência está limita à armadura que veste: brilhante, branca e... vazia. Agilulfo não consegue comer nem dormir porque, se perder a concentração, mesmo que por um momento, deixa de existir. Acompanhado pelo seu escudeiro Gurdulu, enquanto Carlos Magno sitia Paris, Agilulfo irá correr toda a França, a Inglaterra e o Norte de África para confirmar a castidade da filha do rei da Escócia, que salvou, 15 anos antes, de uma violação.

Nesta espirituosa paródia aos romances de cavalaria, sob a forma de uma história contada por uma freira, há surpreendentes achados narrativos, e a confissão final da freira não é o menor deles.

sexta-feira, 1 de março de 2024

DIVULGAÇÃO | DEUS NA ESCURIDÃO, de VALTER HUGO MÃE | PORTO EDITORA


 «Deus é exactamente como as mães. Liberta Seus filhos e haverá de buscá-los eternamente. Passará todo o tempo de coração pequeno à espera, espiando todos os sinais que Lhe anunciem a presença, o regresso dos filhos.»

Este livro explora a ideia de que amar é sempre um sentimento que se exerce na escuridão. Uma aposta sem garantia que se pode tornar absoluta. A dúvida está em saber se os irmãos podem amar como as mães que, por sua vez, amam como Deus.
Passada na ilha da Madeira, esta é a história de dois irmãos e da necessidade de cuidar de alguém. Delicado e profundo, Deus Na Escuridão é um manifesto de lealdade e resiliência.

CRÍTICAS
Por mais de um motivo, cultivo uma admiração imensurável pela obra do escritor português Valter Hugo Mãe.

Raduan Nassar

Pasmo com a facilidade com que Valter Hugo Mãe transmuta a língua portuguesa (e não me refiro apenas a o remorso de baltazar serapião), como lhe imprime uma elasticidade de que a julgávamos desprovida, encontrando-lhe novos ritmos, inventando-lhe novas imagens, produzindo-lhe toda uma outra semântica.

Adolfo Luxúria Canibal

CRÍTICAS DE IMPRENSA
De ilha em ilha, de cultura em cultura, de descoberta em descoberta. Assim tem crescido a sua ficção mais recente, que de uma portugalidade inicial procura agora novas (e opostas) formas de encarar o mundo, a vida e a arte.

Luís Ricardo Duarte, Jornal de Letras

DIVULGAÇÃO | CORRUPÇÃO MORTAL, de J.D. ROBB | CHÁ DAS CINCO

 

Para Eve, ninguém está acima da lei…

A tenente Eve Dallas está prestes a enfrentar o mais impressionante criminoso com que já se cruzou: a tenente Renee Oberman, filha de uma lenda da Polícia de Nova Iorque. Depois de dezoito anos na força policial, Oberman é eficiente, condecorada… e corrupta.

Quando Peabody, a parceira de Eve, ouve uma conversa incriminatória entre Oberman e um dos seus pares sobre um negócio ilegal, ela percebe que Eve tem de agir. Com a ajuda de Roarke, Eve e Peabody terão de descobrir as provas irrefutáveis necessárias para desmascarar Oberman e todos os seus polícias corruptos — sabendo de antemão que ela está disposta a matar quem se atravessar no seu caminho.

quinta-feira, 29 de fevereiro de 2024

DIVULGAÇÃO | A PRAIA DE MANHATTAN, de JENNIFER EGAN | QUETZAL EDITORES

 

Depois de A Visita do Brutamontes, Jennifer Egan regressa com um emocionante romance histórico que tem a Grande Depressão e a Segunda Guerra Mundial em pano de fundo. Os anos 1940. Anos de guerra e de esforço de guerra nos estaleiros navais de Brooklyn. No mesmo espaço geográfico, os sindicatos e as lutas pela supremacia das várias máfias: italiana, irlandesa, outras. Anna Kerrigan é a figura central do romance. Trabalha nos estaleiros (como centenas de outras raparigas) e deseja ardentemente ser a primeira mulher mergulhadora. Isto num tempo em que a vida das mulheres era ainda muito circunscrita. Mas Anna quer sobretudo saber o que aconteceu ao pai, que desaparecera anos antes, sem deixar rasto. A história começa com Anna pela mão do pai, numa visita a casa do encantador mafioso Dexter Styles, em Manhattan Beach, e é nessa mesma praia que, de certa forma, se encontra o seu princípio e desfecho. Por detrás do incrível bulício das docas e da agitada vida da cidade, a toda a volta, o mar: o mar que tudo liga, e que transforma as personagens, que destrói e dá vida, que esconde e revela. Uma narrativa extremamente cinematográfica que evoca o universo de Há Lodo no Cais - transcendendo-o em fôlego e âmbito.

CRÍTICAS DE IMPRENSA
«Egan está entre os maiores escritores dos nossos dias.»
The New York Review of Books

AUTORES INTERNACIONAIS | ANNABELLE HIRSCH

Nascida em 1986, Annabelle Hirsch tem raízes alemãs e francesas. Estudou História de Arte, Teatro e Filosofia em Munique e Paris. Trabalha como jornalista freelancer para o Frankfurter Allgemeine Sonntagszeitung, o Frankfurter Allgemeine Zeitung, o Die Tageszeitung, o ZeitOnline e para várias revistas. Além disso, escreve contos e é tradutora literária do francês. Vive em Roma e Berlim.
 

quarta-feira, 28 de fevereiro de 2024

AUTORES INTERNACIONAIS | AXEL MUNTHE


 Axel Munthe nasceu na Suécia a 31 de outubro de 1857. Estudou Medicina nas universidades de Uppsala, Montpellier e Paris e exerceu em Paris e Roma, antes de se tornar médico da família real sueca. Em 1929 publicou O Livro de San Michele, texto autobiográfico que se transformou num bestseller mundial. Também apelidado de São Francisco de Assis moderno, pela sua filantropia e devoção ao cuidado animal, Axel Munthe faleceu a 11 de fevereiro de 1949, em Estocolmo. A Villa San Michele é hoje uma fundação dedicada à cultura e à proteção da natureza.