sábado, 18 de maio de 2019

LITERATURA / O Escândalo do Século DE Gabriel García Márquez / DOM QUIXOTE - (Tradução de J. Teixeira de Aguilar)

Nas livrarias a 21 de Maio




O Escândalo do Século reúne cinquenta textos representativos do percurso jornalístico de Gabriel García Márquez, selecionados pelo seu editor Cristóbal Pera. Nestas histórias, onde não se diferencia o jornalista do romancista, o leitor descobrirá um fascínio por enredos que desafiam a nossa ideia da realidade, umas vezes porque nunca iremos compreendê-los por completo, tais como o misterioso caso de Wilma Montesi, que dá nome a este livro; outras porque nos obrigam a olhar o mundo com novos olhos, abertos para se surpreenderem com as contradições, desgraças e maravilhas que governam o seu imprevisível mecanismo.

Gabriel García Márquez, que se considerava mais jornalista do que escritor, deixou bem claro que o jornalismo foi sempre a sua paixão principal, a mais duradoura, e pelo que queria ser lembrado: «Não quero que me recordem por Cem Anos de Solidão, nem por aquilo do Prémio Nobel, mas sim pelo jornal.»

sexta-feira, 17 de maio de 2019

LITERATURA / Pratas Conquistador - A História Desconhecida de um Charlot Português DE PAULO M. MORAIS / CASA DAS LETRAS

Nas livrarias a 21 de Maio



No meio da tarefa de esvaziar uma casa de família, a descoberta inesperada de um conjunto de cartas, fotografias e recortes revela ao narrador a existência de um tio-bisavô pioneiro do cinema em Portugal. Será o misterioso tio Emídio, curiosa personagem das anedotas familiares, o mesmo Emídio Ribeiro Pratas, autor e intérprete, em 1917, da primeira comédia cine­matográfica portuguesa ao estilo de Charlot? Que destino foi, afinal, o deste homem que teve uma vida absolutamente aven­turosa? E porque terá sido votado ao esquecimento?


Partindo da história desta figura multifacetada e do papel que representou na vida dos seus contemporâneos e dos seus descendentes, Paulo M. Morais explora os limites da ficção e da não-ficção, conduzindo o leitor ao Portugal das primeiras décadas do século xx, entre a queda da Monarquia e o advento da Sétima Arte, numa viagem ao mesmo tempo intimista e coletiva, poética e documental, que prende da primeira à última página.

segunda-feira, 13 de maio de 2019

AUTORA CRISTINA DAS NEVES ALEIXO

AMANHÃ DIA 14 DE MAIO

A autora Cristina Das Neves Aleixo estará presente na Escola Secundária Pedro Nunes em Lisboa, pra falar com os alunos e professores sobre um tema que infelizmente se tornou num flagelo nos tempos que correm.

Aconselhamos a visitarem a página da autora e a lerem o seu livro "Por Amor Tudo (?)", para o qual contou com o apoio da APAV e de algumas vítimas que com ela conversaram sobre as suas histórias.

A ver se de uma vez por todas conseguimos alterar os comportamentos e as mentalidades.


domingo, 12 de maio de 2019

AUTOR FERNANDO TEIXEIRA


LITERATURA / O Último Minuto na Vida de S. DE MIGUEL REAL / DOM QUIXOTE

1.ª Edição na Dom Quixote
Nas livrarias 14 de Maio



Ela era bela, divorciada, escandinava, culta. Chegara a Lisboa em princípios dos anos 60 e Portugal era para ela o país mais arcaico da Europa.

Ele era português, casado, político, primeiro-ministro.

Apaixonaram-se e amaram-se intensamente, contrariando códigos políticos e sociais.

Morreram ambos, abraçados, na explosão de uma avioneta em viagem para o Porto.
Ficção, O Último Minuto na Vida de S. é a história do último grande amor português, o de Snu Abecassis e Francisco Sá Carneiro. Cruzando um estilo ora satírico-jocoso, ora realista e apoiando-se na realidade portuguesa entre as décadas de 60 e 70 em três ou quatro factos verdadeiros, visa retratar um Portugal que já não existe, o Portugal desaparecido nas décadas seguintes pela voragem dos costumes europeus.




sábado, 11 de maio de 2019

AUTORA CRISTINA DAS NEVES ALEIXO

DIA 14 DE MAIO

A autora Cristina Das Neves Aleixo estará presente na Escola Secundária Pedro Nunes em Lisboa, pra falar com os alunos e professores sobre um tema que infelizmente se tornou num flagelo nos tempos que correm.

Aconselhamos a visitarem a página da autora e a lerem o seu livro "Por Amor Tudo (?)", para o qual contou com o apoio da APAV e de algumas vítimas que com ela conversaram sobre as suas histórias.

A ver se de uma vez por todas conseguimos alterar os comportamentos e as mentalidades.



sexta-feira, 10 de maio de 2019

LITERATURA / O LIVRO DAS TRÉGUAS DE LÍDIA JORGE / DOM QUIXOTE - POESIA

Nas livrarias a 14 de Maio


Ficcionista com uma carreira invulgar, reconhecida em Portugal e no estrangeiro, Lídia Jorge tem vindo a escrever poesia desde há muito tempo mas, até agora, sem a ter publicado em qualquer livro.

Desse conjunto de poemas, a escritora seleccionou 50, que agrupou nas cinco partes em que se divide este O Livro das Tréguas: Com a Origem; Com os Preceitos; Com os Factos; Com as Fábulas; Com o Tempo.

Escritos em datas diferentes e em resultado de diferentes estados de espírito, foram aqui reunidos com uma unidade cronológica que corresponde, no dizer da própria Lídia Jorge, a “uma espécie de autobiografia consentida”.

Uma leitura do tempo e da vida, do início, dos percursos, dos limites e do futuro. Poesia que revela uma nova voz poética e que confirma Lídia Jorge como uma enorme escritora.





domingo, 28 de abril de 2019

LITERATURA / "A Filha Devolvida" de Donatella di Pietrantonio / ASA - (Tradução de Tânia Ganho)

Livro vencedor do Prémio Campiello
Nas livrarias a 30 de Abril



Aos treze anos, uma menina descobre brutalmente que o homem e a mulher que a criaram não são seus pais. Filha única, privilegiada, com uma casa à beira-mar e aulas de ballet, é obrigada a abandonar o lar onde cresceu para ser devolvida à família biológica. Não lhe é dada qualquer explicação. Leva consigo uma mala e um saco de sapatos.

A família biológica é pobre, caótica e pouco acolhedora. Naquela que é agora a sua casa, na aldeia, tem de partilhar um colchão com a irmã e o quarto com os três irmãos mais velhos. A violência, a fome, os costumes… tudo lhe é incompreensível. Mas há a pequena Adriana, que a recebe com a candura típica das crianças; e há Vincenzo, o irmão mais velho, que a protege mas também a olha como se fosse já uma mulher… É na sua relação com eles que a jovem irá encontrar forças para começar de novo e – quem sabe? – construir a sua própria identidade.

sexta-feira, 26 de abril de 2019

LITERATURA / "Eu Sou a Minha Poesia" de MARIA TERESA HORTA / DOM QUIXOTE - POESIA

Nas livrarias a 30 de Abril


Eu Sou a Minha Poesia reúne uma secção feita por Maria Teresa Horta dos poemas que a autora considera serem os essenciais da sua obra. Um longo percurso poético, iniciado em 1960, que se mantém vivo e cuja actualidade e ousadia a colocam na vanguarda da poesia portuguesa.

De cunho marcadamente feminista e erótico, uma poesia de intervenção e desobediência, que dá voz ao imaginário e ao desejo da mulher.

Uma obra literária ímpar que é um grito de coragem e uma afirmação de liberdade.

quinta-feira, 18 de abril de 2019

LITERATURA / "Alma" de MANUEL ALEGRE / DOM QUIXOTE

A presente edição, a 16.ª, traz consigo o texto lido por Mário Soares na primeira apresentação do livro, a 21 de Dezembro de 1995, em Lisboa.

Nas livrarias a 23 de Abril


A memória nostálgica dos lugares encantatórios da infância. De Alma, vila mágica onde convivem tradição e subversão, melancolia e audácia, crendices, ideologia e futebol. Dessa infância vêm os cheiros, os sons, as imagens e as emoções que norteiam a vida. Toda a vida: não há flecha que não tenha o arco da infância. Pela voz audaciosa de quem não receia dar-se a conhecer, chegam-nos os ecos de um Portugal dividido entre a República e a Monarquia, um país que era, à época, o mundo de uma criança expectante e atenta. Um testemunho autobiográfico que é também um documento histórico de um passado recente que muitos ignoram.

sábado, 6 de abril de 2019

LITERATURA / "As Memórias Secretas da Rainha D. Amélia" de MIGUEL REAL / DOM QUIXOTE

4.ª Edição.
Nas livrarias a 9 de Abril


Furtado do espólio de Salazar aquando da invasão dos seus antigos apo­sentos no dia 25 de Abril de 1974, o manuscrito «As Memórias Secretas da Rainha D. Amélia», escrito nos últimos anos de vida e doado pela própria à Casa de Bragança, em Lisboa, através da mão do chefe do Estado Novo, foi recuperado em Sófia, na Bulgária, na Comemoração do Centenário da República, por Miguel Real, que foi incumbido de o depositar na Torre do Tombo, já o tendo feito.

Neste manuscrito, a Rainha D. Amélia retrata a sua vida em doze pequenos capítulos, equivalente a um por cada mês do ano, organizados em quatro grandes partes, seguindo o ritmo das estações, da Primavera, na infância, ao Inverno triste da sua velhice. Um documento pungente, doloroso e comovente, fortemente crítico de Portugal e dos Portugueses, permanente­mente iludidos pelas artimanhas de elites ineptas e ignorantes.

sexta-feira, 5 de abril de 2019

ESTA TARDE NO ELOS CLUBE DE LISBOA - CONVITE LANÇAMENTO LIVRO DE POESIA


Inês Benedita é o pseudónimo de Margarida Cruz, nascida em Julho de 1972, em Lisboa. Licenciada em Medicina pela Faculdade de Medicina de Lisboa em 1995, é Reumatologista desde 2003. Fundou a Unidade de Reumatologia no Hospital de Faro, em 2003 e dirigiu mais tarde o Serviço de Reumatologia do Hospital das Caldas da Rainha, entre 2005 e 2011. Desde então, exerce Medicina como profissional liberal e em voluntariado, dedicando-se ainda à investigação clínica. Vive actualmente em Caldas da Rainha, com o marido e os três filhos. Publicou os dois primeiros livros de poesia em 2016, com os títulos “Trilogia dos Dias”, Prémio Revelação de Poesia da Sociedade Portuguesa de Escritores e Artistas Médicos em 2004 e “A Sombra da Tília Ausente”. Publicou o terceiro livro de poesia em 2018, com o título “Espelho Meu, Onde Deixei o Meu Chapéu?”. “Código de Borras” é o seu quarto livro de poesia.


ESTA TARDE NO ELOS CLUBE DE LISBOA - CONVITE LANÇAMENTO LIVRO DE POESIA

Inês Benedita é o pseudónimo de Margarida Cruz, nascida em Julho de 1972, em Lisboa. Licenciada em Medicina pela Faculdade de Medicina de Lisboa em 1995, é Reumatologista desde 2003. Fundou a Unidade de Reumatologia no Hospital de Faro, em 2003 e dirigiu mais tarde o Serviço de Reumatologia do Hospital das Caldas da Rainha, entre 2005 e 2011. Desde então, exerce Medicina como profissional liberal e em voluntariado, dedicando-se ainda à investigação clínica. Vive actualmente em Caldas da Rainha, com o marido e os três filhos. Publicou os dois primeiros livros de poesia em 2016, com os títulos “Trilogia dos Dias”, Prémio Revelação de Poesia da Sociedade Portuguesa de Escritores e Artistas Médicos em 2004 e “A Sombra da Tília Ausente”. Publicou o terceiro livro de poesia em 2018, com o título “Espelho Meu, Onde Deixei o Meu Chapéu?”. “Código de Borras” é o seu quarto livro de poesia.


quinta-feira, 4 de abril de 2019

CONVITE LANÇAMENTO LIVRO DE POESIA


Inês Benedita é o pseudónimo de Margarida Cruz, nascida em Julho de 1972, em Lisboa. Licenciada em Medicina pela Faculdade de Medicina de Lisboa em 1995, é Reumatologista desde 2003. Fundou a Unidade de Reumatologia no Hospital de Faro, em 2003 e dirigiu mais tarde o Serviço de Reumatologia do Hospital das Caldas da Rainha, entre 2005 e 2011. Desde então, exerce Medicina como profissional liberal e em voluntariado, dedicando-se ainda à investigação clínica. Vive actualmente em Caldas da Rainha, com o marido e os três filhos. Publicou os dois primeiros livros de poesia em 2016, com os títulos “Trilogia dos Dias”, Prémio Revelação de Poesia da Sociedade Portuguesa de Escritores e Artistas Médicos em 2004 e “A Sombra da Tília Ausente”. Publicou o terceiro livro de poesia em 2018, com o título “Espelho Meu, Onde Deixei o Meu Chapéu?”. “Código de Borras” é o seu quarto livro de poesia.

quarta-feira, 3 de abril de 2019

CONVITE LANÇAMENTO LIVRO DE POESIA



Inês Benedita é o pseudónimo de Margarida Cruz, nascida em Julho de 1972, em Lisboa. Licenciada em Medicina pela Faculdade de Medicina de Lisboa em 1995, é Reumatologista desde 2003. Fundou a Unidade de Reumatologia no Hospital de Faro, em 2003 e dirigiu mais tarde o Serviço de Reumatologia do Hospital das Caldas da Rainha, entre 2005 e 2011. Desde então, exerce Medicina como profissional liberal e em voluntariado, dedicando-se ainda à investigação clínica. Vive actualmente em Caldas da Rainha, com o marido e os três filhos. Publicou os dois primeiros livros de poesia em 2016, com os títulos “Trilogia dos Dias”, Prémio Revelação de Poesia da Sociedade Portuguesa de Escritores e Artistas Médicos em 2004 e “A Sombra da Tília Ausente”. Publicou o terceiro livro de poesia em 2018, com o título “Espelho Meu, Onde Deixei o Meu Chapéu?”. “Código de Borras” é o seu quarto livro de poesia.

terça-feira, 2 de abril de 2019

CONVITE LANÇAMENTO LIVRO DE POESIA



Inês Benedita é o pseudónimo de Margarida Cruz, nascida em Julho de 1972 em Lisboa. Licenciada em Medicina pela Faculdade de Medicina de Lisboa em 1995, é Reumatologista desde 2003. Fundou a Unidade de Reumatologia no Hospital de Faro, em 2003 e dirigiu mais tarde o Serviço de Reumatologia do Hospital das Caldas da Rainha, entre 2005 e 2011. Desde então, exerce Medicina como profissional liberal e em voluntariado, dedicando-se ainda à investigação clínica. Vive actualmente em Caldas da Rainha, com o marido e os três filhos. Publicou os dois primeiros livros de poesia em 2016, com os títulos “Trilogia dos Dias”, Prémio Revelação de Poesia da Sociedade Portuguesa de Escritores e Artistas Médicos em 2004 e “A Sombra da Tília Ausente”. Publicou o terceiro livro de poesia em 2018, com o título “Espelho Meu, Onde Deixei o Meu Chapéu?”. “Código de Borras” é o seu quarto livro de poesia.

domingo, 31 de março de 2019

ENTREVISTA à autora RELIANE DE CARVALHO

Reliane de Carvalho nasceu no Estado do Mato Grosso do Sul, em 1978, na cidade de Deodápolis, região Centro Oeste do Brasil. Construiu a sua primeira obra literária aos 12 anos de idade, a qual foi publicada pela ANE (Associação de Novos Escritores do Mato Grosso do Sul). Licenciou-se em Enfermagem e Obstetrícia pela Universidade Federal do Paraná e dedicou a sua vida profissional ao “Cuidado dos Pacientes com Diabetes”, como educadora em Diabetes no Sul do Brasil. Foi palestrante e projetista; construiu e coordenou o “Programa de Educação Dassette”, de assistência e educação a estes pacientes na cidade de Curitiba. Redirecionou a sua carreira de enfermeira em 2012, deixando de se dedicar apenas ao cuidado físico dos seus pacientes e saindo do Brasil para realizar missões em alguns países da Europa. Passou a dedicar-se à ajuda ao próximo de uma forma mais holística, abrangendo também os cuidados da alma. Desse trabalho nasceu “Menina dos Olhos da alma” em 2014, quando a escritora retoma as atividades literárias com o objetivo de utilizar os acordes do musical das letras como contributo ao sucesso da sua missão. Em 2015 publica “Menina dos olhos da alma, volume II”. Para aperfeiçoar o seu trabalho de “Curadora de Almas”, certificou-se em Hipnose Clínica e Regressiva e hoje, além da sua dedicação à escrita, trabalha como hipnoterapeuta. 


MBC - Fala-nos um pouco de ti?
RC - Acredito que todos que aqui estão possuem uma missão de vida, que viemos com um propósito, o que chamo de sentido de vida. Felizmente sou imensamente grata ao Universo porque em resposta às minhas ações sempre tive a oportunidade de ir ao seu encontro com este propósito de vida.
Ainda era uma menina, logo após o coma por diabetes tipo 1 onde fiquei entre a vida e a morte dizia a todos os meus familiares e amigos que queria ser uma profissional da área da saúde e que tinha a certeza de que se Deus tinha permitido que tivesse Diabetes era para que eu assumisse o propósito de ajudar pessoas, e este sonho moveu-me durante a minha caminhada profissional. Realmente ao terminar a minha formação na Universidade Federal do Paraná, Brasil, comecei a trabalhar com Educação em Diabetes na Sanofi-aventis.
Foram 12 anos de cuidados aos pacientes com diabetes, onde pude levar a muitas pessoas o conhecimento que tinha sobre a diabetes, a motivação, e acima de tudo a inspiração para que tivessem força para ultrapassar as adversidades que enfrentamos ao termos uma disfunção tão impactante na rotina diária. Acabava por exercer além da educação em diabetes uma terapia informal, para ajudar estes pacientes a trabalharem as suas emoções tão fortemente abaladas devido ao impacto do diagnóstico e a nova rotina de vida tão exigente que esta doença crónica traz. E estudava muito para isso.
                                                                                                                                                        
E assim segui o meu caminho profissional. Acreditando firmemente que se fizesse tudo com entrega e com amor podia ajudar pessoas a serem mais felizes e a viverem melhor, porque enquanto a mente está saudável tudo fica mais fácil.    
                                                                               
Um motivo muito especial me trouxe a Portugal, e aqui direcionei toda a minha vida profissional para a psicologia, área que gosto muito, e hoje estou a finalizar com muita dedicação o Mestrado em Ciência e Emoções no ISCTE e a trabalhar como terapeuta, através da ajuda de técnicas da Hipnose Clínica. E posso novamente afirmar que estou firme no meu propósito de vida, que é ajudar pessoas a ficarem bem, a encontrarem o seu caminho interior, a curar suas feridas emocionais.

MBC - O que te levou a escrever?
RC - Comecei a escrever muito cedo. E acredito que a escrita é um dom, e como todo dom de repente
sentimos o seu chamado, como se olhássemos para o papel e sem explicação a nossa alma pulsasse em sua vontade de fazer ali nascer palavras. Ainda muito menina nos primeiros anos escolares era daquelas alunas que fazia redação sem a professora de Português solicitar, só pela paixão de escrever. E neste sentido tive uma professora que teve singular importância nesta estimulação e no desenvolvimento da escrita, a professora Shinako Kondo. No quarto ano do ensino fundamental quando foi minha professora recordo-me que tínhamos que entregar um caderno escrito todos os meses, um mês era de dissertação, uma por dia, 30 ou 31 dissertações por mês. No outro mês era para fazermos um diário, relatar o que aconteceu em cada dia durante todo o mês, no outro mês era para fazermos 30 ou 31 narrações. E assim, cada mês tinha uma atividade relacionada com a escrita até o final do ano letivo. E é certo de que isso teve um grande peso contributivo no desenvolvimento da escrita.

MBC – Eras ainda muito jovem quando publicaste pela primeira vez no Brasil?
RC - Sim, publiquei o meu primeiro livro aos 15 anos, o qual foi escrito aos 12 anos de idade. A noite de autógrafos aconteceu no dia 27 de novembro de 1983 na cidade de Deodápolis, no Estado do Mato Grosso do Sul.
MBC – A tua escrita está directamente ligada com o teu trabalho?
RC - Quando estamos conectados com o nosso sentido de vida tudo naturalmente se encaixa, ainda aos 12 anos, e quem lê a minha primeira obra pode constatar, já abordava na obra aspectos importantes sobre emoção positiva, sobre motivação, deixando no leitor a mensagem subliminar da importância de estarmos conectados com a nossa verdadeira essência, com a nossa força interior, de trabalharmos nossas emoções para melhor e mais fortes seguirmos no caminho da vida.

MBC - Só escreves dentro deste género?
RC - Sim. Naturalmente acontece quando algo me toca e motiva-me a começar a escrever, sem me
aperceber toda a sintonia da escrita caminha em direção a este género.

MBC – Queres explicar-nos em que consiste o teu trabalho e como o consegues conciliar com a escrita?
RC - Hoje trabalho como terapeuta, através de um método que desenvolvi ao qual dei o nome de Método Terapêutico S&E (Saúde Emocional), porque o mesmo foi desenvolvido à luz da ciência durante o andamento do meu mestrado. Associo a esta abordagem terapêutica técnicas de Hipnose Clínica, ou seja, no primeiro momento é realizado um trabalho a nível consciente, com o paciente acordado, e no segundo momento o paciente é induzido ao transe onde são aplicadas as técnicas de Hipnose. E aqui é importante mencionar que isso faz com que o processo seja altamente eficaz, porquê este método trata de forma assertiva as disfunções emocionais (depressão, ansiedade, fobias, etc.), ou mesmo as emoções doentes (que dificultam os nossos processos relacionais) a nível consciente, e o transe que é realizado na sequência ativa a parte do Córtex Pré-frontal e consequentemente deixa o cérebro muito suscetível a sugestões que vão ter muita eficácia a nível inconsciente.

MBC – Sentes dificuldade na divulgação do teu trabalho em Portugal?
RC - No que concerne a terapia não. Em relação à escrita sim. Nós escritores sabemos o quanto é árduo o caminho para que a nossa obra chegue a um número maior de leitores, que certamente é o sonho de todos os escritores. As grandes editoras publicam trabalhos de autores conhecidos, as menores, acabam por não conseguir fazer uma distribuição adequada nos principais pontos de venda do país. Sou daquelas que acredito que a obra precisa estar fisicamente presente nas livrarias, que a editora precisa investir em divulgação, precisa fazer eventos juntos ao autor ou criar eventos para reunir pessoas e os autores que consigo trabalham, o seu papel não é só       editar.

MBC - São grandes as diferenças entre os teus leitores brasileiros e portugueses? 
RC - Não. Pelo menos se há diferenças relevantes não consigo classificá-las.

MBC – Quem quiser comprar os teus livros onde o pode fazer?
RC - Os livros estão disponíveis em todas as livrarias Bertrand do país. Ou através da internet: https://www.wook.pt, https://www.fnac.pt, http://edicoesmahatma.pt. Ou ainda podem adquirir a obra autografada, solicitando-a através do e-mail relianedecarvalhoescritora@gmail.com
 
MBC – Queres deixar-nos mais algum contacto das redes sociais para que os leitores possam seguir o teu trabalho?
RC - Para agendar consulta ou solicitar palestra na área de Psicologia Transpessoal: 960 445 433.
Redes Sociais:

MBC - E a pergunta que todos queremos saber, novidades para breve?
RC - Com a defesa da tese do mestrado prevista para setembro, tive que conter a minha vontade de criar, de escrever, para direcionar a energia para finalizar este processo. No entanto, escrever é certamente o que mais gosto de fazer na vida, e assim que possível nascerá uma nova obra.

                                                           
                                                            SINOPSE 
A Luz dos Meus Olhos
Uma viagem interior, traz ao leitor uma reflexão que o possibilita mergulhar no seu mundo mais interno, nas profundezas do seu "Ser", proporcionando-lhe instrumentos para o despertar da sua consciência e consequentemente, da necessidade de trabalhar algumas das suas emoções. E através deste despertar que pode ocorrer pelos diversos temas amplamente abordados neste livro, o leitor pode alcançar mudanças interiores que o capacitarão a agir de forma mais consciente e serena, nos seus diversos processos relacionais, proporcionando-lhe uma vida mais harmoniosa, equilibrada e feliz. A obtenção deste equilíbrio interno, com o exteriorizar de ações pessoais mais conscientes, se despertadas através deste livro e interiorizadas, pode proporcionar-lhe o poder de reconhecer a sua força interior, todo o poder que emana de seu "Ser", o seu poder de superação diante das dores e dificuldades da vida e pode além disso, induzi-lo e ajudá-lo a viver com sua mente sendo constituída predominantemente de pensamentos menos tóxicos, mais positivos e sem crenças auto limitantes. 
Uma evolução de Ser, Estar, Sentir e Agir, que antes de fazer bem aos outros, ao mundo e a todos que a sua volta estão, será infinitamente melhor para si. Porque passará de forma mais saudável a configurar uma mente mais leve, mais construtiva e mais benevolente. É importante ressaltar que, perfeitos em nossa imperfeição, cada vez que conseguimos saltar evolutivamente entramos em contato com a nossa "Essência Cósmica", com o nosso "Eu Universo", ao encontro da nossa verdadeira natureza que é a consciência…


SINOPSE 
Menina dos Olhos da Alma, Volume 1
No meio de tantas adversidades que hoje povoa o mundo moderno paralelamente com a vida humana, buscar forças e sabedoria na alma para transpô-las, além de facilitar o caminho, torna-se um meio de sobrevivência. Menina dos Olhos da Alma, com uma forma lúdica e poética traz ao leitor reflexões que o leva ao encontro de respostas no seu mundo mais interno, no interior do seu eu, em sua alma. Que, por vezes, deixamos adormecer, ao eliminarmos a sua intuição e a sua fala, apenas dominados pela razão de quem luta pela sobrevivência, num mundo de tropeços, de busca pelo poder, ênfase no ter e não no ser, aonde uns são capazes de o outro ferir para se sobrepor no meio social ao qual vivem. Menina dos Olhos da Alma é um encontro com a aceitação que nos faz compreender que aquilo que não podemos mudar, só nos resta vivenciar com a menor dor possível, através do encontro e da construção do verdadeiro caminho, capaz de nos fazer transpor qualquer ato de desamor. E quando a força do amor é genuína, não há dificuldade que não se transforme em ruína, eis o tema principal desta singela obra, que abraça o leitor com seu afago de amor.

SINOPSE 
Menina dos Olhos da Alma, Volume II

Num Universo de intenso reflexo, onde a luz que incide também irradia, sentimos cedo ou tarde o reflexo de nossas ações. São os nossos comportamentos os principais responsáveis para que vivamos em momentos de luz, alegria, paz ou amor, ou na escuridão da dor, de conflitos, de ruídos desarmônicos. Por que mesmo que algo nos aconteça, estando além de nossa capacidade de decisão, não sendo uma consequência de nossas escolhas e nossas ações, é a forma com que vamos isso receber e processar que irá ditar como será o processo de vivência deste momento. E nossas ações e comportamentos são o que irão configurar se o motivo de dor que porventura a vida trouxe, será motivo para conflitos, processos desarmônicos, ou se vamos utilizar a inteligência emocional que todos nós carregamos para tentar resolver tudo da melhor forma possível, diminuindo os impactos de outras ações, numa análise processual consciente, de quem está decidido a fazer diferente, em busca da harmonia e da paz.
Composto por mensagens, Menina dos olhos da alma II, O despertar da consciência, traz ao leitor mensagens diversas, que em sua configuração possui a intenção de o despertar, caso identifique que necessário seja, para mudanças comportamentais, contribuindo para que a partir de um novo modelo de ações, possa ter uma vida mais harmônica, nos diferentes processos de relação humana.
E não há verdades impostas, há neste livro uma singela intenção a partir de sua composição, de contribuir de alguma forma para que você viva uma vida mais feliz, recebendo o resultado de uma digna e honrosa semeadura, que só pode resultar numa próspera e feliz colheita.

Texto: MBarreto Condado
Fotos: cedidas pela autora

sexta-feira, 29 de março de 2019

NOVIDADES EDITORIAIS / O Sol da Meia-Noite de JO NESBO / DOM QUIXOTE - Tradução de Ricardo Gonçalves

Nas livrarias a 31 de Março



Jon sai do autocarro a meio da noite, num canto inóspito da Noruega, algures no planalto de Finnmark, tão a norte que o Sol nunca se põe. É ali que espera poder refugiar-se, junto do povo da Lapónia, até traçar uma estratégia para escapar ao Pescador. Até àquele momento, limitara-se a improvisar, pois temia que qualquer plano fosse descortinado pelo seu perseguidor. Mas não duvida de que, mais cedo ou mais tarde, o encontrarão.

Escondido numa cabana no meio da floresta, tudo o que separa Jon do seu destino é Lea e o filho, Knut. Lea ofereceu-lhe uma arma para se defender, uma cabana onde dormir e, mais importante do que isso, uma razão pela qual lutar contra o seu fatal destino. Mas à medida que o tempo passa, Jon percebe que os homens do Pescador se aproximam e é urgente encontrar uma saída.




segunda-feira, 25 de março de 2019

NOVIDADES EDITORIAIS / As Regras da Cortesia de AMOR TOWLES / DOM QUIXOTE - Tradução de Tânia Ganho

Nas livrarias a 26 de Março



Na última noite de 1937, Katey desliza deslumbrante por entre nuvens de fumo num clube de jazz em Greenwich Village. Tem três dólares na carteira e está empenhada em fazê-los render até ao amanhecer. Não será preciso. Porque na mesa ao lado senta-se Tinker, um jovem banqueiro, aconchegado num extraordinário sobretudo de caxemira. E aquele encontro, naquela noite, vai definir a vida de Katey, A remediada filha de emigrantes russos, que sobrevive a custo em Brooklyn, dirá ali adeus ao passado, e dará início a uma imparável escalada social.

As Regras da Cortesia é uma nostálgica revisitação da eufórica Nova Iorque dos anos 30 – uma cidade a recuperar da grande depressão com banhos de champanhe, festas e cocktails. Narrada em flashback por uma protagonista que recorda, décadas mais tarde, aquele amor da juventude.

Primeira obra de Amor Towles, revela um autor nascido já em plena maturidade estilística. Encontramos aqui a mesma escrita rendilhada, elegante e a mesma ternura na evocação de uma época de ouro – e de uma cidade e de uma mulher que se reinventam num tempo de promessas.

sexta-feira, 22 de março de 2019

NOVIDADES EDITORIAIS / O Fim da Solidão de BENEDICT WELLS / ASA - Tradução de Paulo Rêgo

Benedict Wells estará em Lisboa, de 25 a 27 de Março, para promover este romance, que chega às livrarias dia 26. 


Jules Moreau tem onze anos quando os pais morrem num acidente de carro. Nessa noite, a sua infância termina. Segue-se a ida para um colégio interno, juntamente com os dois irmãos mais velhos. Pouco a pouco, os laços que os unem quebram-se. Jules isola-se, alimentando-se das suas memórias; Marty refugia-se ferozmente nos estudos; e Liz procura todas as formas de evasão possíveis para preencher o vazio. O único consolo do protagonista advém dos momentos que passa na companhia de uma menina ruiva chamada Alva. As duas crianças leem, ouvem música, partilham o silêncio das tardes no colégio. E nunca falam sobre si mesmas.

Quinze anos mais tarde, os irmãos afastaram-se irremediavelmente uns dos outros. Jules, que continua a reviver o passado interrompido, apenas encontra alento no sonho de se tornar escritor e na ânsia de reencontrar Alva. E quando, por uma vez, tudo parece subitamente possível, uma força invisível – talvez o destino – volta a intervir. O fim da história de Jules está ainda por acontecer.

segunda-feira, 18 de março de 2019

NOVIDADES EDITORIAIS / História de Uma Família Decente de ROSA VENTRELLA / DOM QUIXOTE - J.Teixeira de Aguilar

Nas livrarias a 19 de Março



Sul de Itália, anos 80. Os verões em Bari velha são passados entre os becos de lajes brancas, onde as crianças se perseguem pelas curvas de um labirinto de ruelas, no meio dos aromas dos lençóis estendidos em arames e dos molhos saborosos.

Maria, de doze anos, cresce aqui com os dois irmãos mais velhos. É uma menina pequena e morena, com feições selvagens que a tornam diferente das outras crianças – uma boca grande e dois olhos quase orientais que brilham como pequenos buracos –, e uma certa maneira de ser hostil e insolente que lhe valeu a alcunha «Malacarne». Vive numa terra sem tempo, num bairro onde os abusos são sofridos e infligidos, e de onde é muito difícil escapar. No entanto, Maria não está disposta a submeter-se a normas que não respeita. O seu único apoio é Michele, o filho mais novo do clã Senzasagne, a gente mais decadente de Bari velha. Apesar da hostilidade entre as suas famílias, entre ambos surge uma amizade delicada, quase fraternal, que o tempo converte em amor. Um amor que, embora impossível, os preserva do rancor do resto do mundo.





sexta-feira, 15 de março de 2019

NOVIDADES EDITORIAIS / Palmeiras Bravas - Rio Velho de WILLIAM FAULKNER / DOM QUIXOTE - Tradução de Jorge de Sena (Palmeiras Bravas) e Ana Maria Chaves (Rio Velho)

Nas livrarias a 19 de Março



Neste romance intenso e belo, Faulkner entrelaça duas absorventes narrativas, cada uma iluminando a outra com grande subtileza.

Na primeira, Palmeiras Bravas, uma mulher abandona marido e filhos para embarcar com o amante numa arrebatada fuga para o deserto da paixão ilícita, deixando para trás as responsabilidades da maternidade e de uma vida respeitável.

A segunda, Rio Velho, conta-nos a história de sobrevivência de um condenado que foge da prisão e que, enfrentando a grande cheia de 1927 do rio Mississípi, arrisca a sua liberdade para resgatar uma mulher grávida prestes a dar à luz.

A partir destas duas histórias – que o autor organizou em capítulos alternados –, Faulkner compõe uma sinfonia de libertação e condenação, sobrevivência e auto-sacrifício.

Um romance engenhoso e inovador, com uma prosa de suster a respiração, em que todas as páginas estão impregnadas com a presença física do Sul imaginário de Faulkner.