segunda-feira, 25 de março de 2019

NOVIDADES EDITORIAIS / As Regras da Cortesia de AMOR TOWLES / DOM QUIXOTE - Tradução de Tânia Ganho

Nas livrarias a 26 de Março



Na última noite de 1937, Katey desliza deslumbrante por entre nuvens de fumo num clube de jazz em Greenwich Village. Tem três dólares na carteira e está empenhada em fazê-los render até ao amanhecer. Não será preciso. Porque na mesa ao lado senta-se Tinker, um jovem banqueiro, aconchegado num extraordinário sobretudo de caxemira. E aquele encontro, naquela noite, vai definir a vida de Katey, A remediada filha de emigrantes russos, que sobrevive a custo em Brooklyn, dirá ali adeus ao passado, e dará início a uma imparável escalada social.

As Regras da Cortesia é uma nostálgica revisitação da eufórica Nova Iorque dos anos 30 – uma cidade a recuperar da grande depressão com banhos de champanhe, festas e cocktails. Narrada em flashback por uma protagonista que recorda, décadas mais tarde, aquele amor da juventude.

Primeira obra de Amor Towles, revela um autor nascido já em plena maturidade estilística. Encontramos aqui a mesma escrita rendilhada, elegante e a mesma ternura na evocação de uma época de ouro – e de uma cidade e de uma mulher que se reinventam num tempo de promessas.

sexta-feira, 22 de março de 2019

NOVIDADES EDITORIAIS / O Fim da Solidão de BENEDICT WELLS / ASA - Tradução de Paulo Rêgo

Benedict Wells estará em Lisboa, de 25 a 27 de Março, para promover este romance, que chega às livrarias dia 26. 


Jules Moreau tem onze anos quando os pais morrem num acidente de carro. Nessa noite, a sua infância termina. Segue-se a ida para um colégio interno, juntamente com os dois irmãos mais velhos. Pouco a pouco, os laços que os unem quebram-se. Jules isola-se, alimentando-se das suas memórias; Marty refugia-se ferozmente nos estudos; e Liz procura todas as formas de evasão possíveis para preencher o vazio. O único consolo do protagonista advém dos momentos que passa na companhia de uma menina ruiva chamada Alva. As duas crianças leem, ouvem música, partilham o silêncio das tardes no colégio. E nunca falam sobre si mesmas.

Quinze anos mais tarde, os irmãos afastaram-se irremediavelmente uns dos outros. Jules, que continua a reviver o passado interrompido, apenas encontra alento no sonho de se tornar escritor e na ânsia de reencontrar Alva. E quando, por uma vez, tudo parece subitamente possível, uma força invisível – talvez o destino – volta a intervir. O fim da história de Jules está ainda por acontecer.

segunda-feira, 18 de março de 2019

NOVIDADES EDITORIAIS / História de Uma Família Decente de ROSA VENTRELLA / DOM QUIXOTE - J.Teixeira de Aguilar

Nas livrarias a 19 de Março



Sul de Itália, anos 80. Os verões em Bari velha são passados entre os becos de lajes brancas, onde as crianças se perseguem pelas curvas de um labirinto de ruelas, no meio dos aromas dos lençóis estendidos em arames e dos molhos saborosos.

Maria, de doze anos, cresce aqui com os dois irmãos mais velhos. É uma menina pequena e morena, com feições selvagens que a tornam diferente das outras crianças – uma boca grande e dois olhos quase orientais que brilham como pequenos buracos –, e uma certa maneira de ser hostil e insolente que lhe valeu a alcunha «Malacarne». Vive numa terra sem tempo, num bairro onde os abusos são sofridos e infligidos, e de onde é muito difícil escapar. No entanto, Maria não está disposta a submeter-se a normas que não respeita. O seu único apoio é Michele, o filho mais novo do clã Senzasagne, a gente mais decadente de Bari velha. Apesar da hostilidade entre as suas famílias, entre ambos surge uma amizade delicada, quase fraternal, que o tempo converte em amor. Um amor que, embora impossível, os preserva do rancor do resto do mundo.





sexta-feira, 15 de março de 2019

NOVIDADES EDITORIAIS / Palmeiras Bravas - Rio Velho de WILLIAM FAULKNER / DOM QUIXOTE - Tradução de Jorge de Sena (Palmeiras Bravas) e Ana Maria Chaves (Rio Velho)

Nas livrarias a 19 de Março



Neste romance intenso e belo, Faulkner entrelaça duas absorventes narrativas, cada uma iluminando a outra com grande subtileza.

Na primeira, Palmeiras Bravas, uma mulher abandona marido e filhos para embarcar com o amante numa arrebatada fuga para o deserto da paixão ilícita, deixando para trás as responsabilidades da maternidade e de uma vida respeitável.

A segunda, Rio Velho, conta-nos a história de sobrevivência de um condenado que foge da prisão e que, enfrentando a grande cheia de 1927 do rio Mississípi, arrisca a sua liberdade para resgatar uma mulher grávida prestes a dar à luz.

A partir destas duas histórias – que o autor organizou em capítulos alternados –, Faulkner compõe uma sinfonia de libertação e condenação, sobrevivência e auto-sacrifício.

Um romance engenhoso e inovador, com uma prosa de suster a respiração, em que todas as páginas estão impregnadas com a presença física do Sul imaginário de Faulkner.




quinta-feira, 14 de março de 2019

LITERATURA | Excerto de entrevista do autor Nuno Nepomuceno

Nuno Nepomuceno, autor de A Última Ceia, deu uma entrevista ao blogue Crónicas de uma Leitora. Deixamos um excerto da entrevista concedida à nossa colaboradora Vera Carregueira.
________________________

Não estamos perante um livro que possamos inserir num só género literário. Temos romance e um thriller num só, muita ação, suspense e amor. Acha que será mais fácil chegar a mais pessoas?
Sim, concordo com essa análise. Acho que o sucesso que o livro está a ter resulta sobretudo disso. De uma forma muito simples, mais do que um thrillerA Última Ceia é uma história de amor, um «conto» sobre a relação entre um homem e uma mulher. E esses sentimentos serão sempre universais.

Imagem relacionada
O que nos pode desvendar sobre as personagens principais? O que podemos esperar deles?
É uma pergunta interessante, pois este foi exatamente um dos desafios que a redação do livro me colocou. O casal de protagonistas é muito diferente. A mulher, Sofia, evolui imenso e acho que é a personagem com que o leitor se irá identificar mais. Tem todas as caraterísticas de uma heroína tradicional, incluindo a capacidade de sobrevivência. Já Giancarlo, o homem que a seduz, não. É uma personagem estática, sobre a qual sabemos logo no início do livro ser um vilão, um ladrão de arte, o que me obrigou a trabalhar o enredo para manter a narrativa interessante. Se pensarmos bem, já sabemos mais ou menos como é que o livro acaba quando ele começa.

Afonso Catalão volta a ter um papel fundamental no desenrolar da ação. Como tem sido desenvolver este personagem que nos acompanha desde A Célula Adormecida?


Tem sido muito gratificante. O professor Catalão é bastante diferente do meu primeiro protagonista, a personagem principal de O Espião Português e restantes volumes da série. Afonso, ao ser um homem mais velho, tem outra dimensão emocional, além de um passado obscuro, negro, fruto de alguém que, apesar de ser honesto, teve de sobreviver àquilo que a vida lhe deu. É uma personagem que faz o que considera ser correto e necessário para o bem maior, mesmo que para tal tenha de quebrar algumas regras. Os últimos capítulos de A Última Ceia revelam isso mesmo. Há mensagens subliminares nas linhas de diálogo do professor Catalão que nos deixam a pensar sobre a interpretação que devemos fazer dos factos narrados anteriormente.


Para lerem a entrevista na integra cliquem AQUI.

segunda-feira, 11 de março de 2019

NOVIDADES EDITORIAIS / A Noite e o Riso de NUNO BRAGANÇA / DOM QUIXOTE

Nas livrarias a 12 de Março



Primeiro romance de Nuno Bragança, de quem se assinala, este ano, o 90.º aniversário do seu nascimento, A Noite e o Riso (1969) é uma obra incontornável, considerada decisiva para a modernidade literária portuguesa.

Um texto que alia a linguagem poética à experimentação formal, e uma certa dose de surrealismo às experiências do nouveau roman francês.

Como refere Manuel Gusmão no seu prefácio à 3.ª edição, este é um romance de crescimento e aprendizagem, que tem na ironia o seu «princípio construtor».






sexta-feira, 8 de março de 2019

NOVIDADES EDITORIAS / O Terceiro Vértice de FERNANDO PINTO DO AMARAL / DOM QUIXOTE - POESIA

Nas livrarias a 12 de Março



Uma poesia que remete para o mundo actual e para as suas novas realidades. Poemas sobre a vida nocturna e os espaços de encontros e desencontros, onde o amor espreita e se perde. O quotidiano e as fugas à fria realidade, os sonhos e a esperança, a juventude e o envelhecimento, o telemóvel e as redes socias.

Com sonetos a lembrar Camões, e ainda com poemas de grande modernidade, este é um livro que percorre os três vértices de um triângulo: O Raio Azul, Paralelas Assimétricas e Peter Pan & Friends.




domingo, 3 de março de 2019

Entrevista à autora SUSANA JÚDICE

Quem é Susana Júdice

Susana C. Júdice nasceu a 5 de dezembro, em Portugal, no seio de uma família humilde. Filha de pais emigrantes, cresceu nos Estados Unidos, onde muito cedo se apaixonou pela leitura e pela escrita. Levada pelo impulso criativo, dedicou a sua vida à dança e à moda. Vive atualmente em Portugal, com o seu marido e o seu dragão de estimação. Sempre pronta para um desafio, escreveu Sonho de Liberum, a sua primeira obra literária, que rapidamente se revelou como um sucesso nacional e internacional.
Apaixonada pela nova jornada literária, e motivada pelo entusiasmo dos seus leitores, lançou Segredo de Liberum, o segundo volume de uma trilogia épica.  



MBC - O que te levou a escrever Literatura Fantástica?
SJ - Sendo o género literário que mais me seduz, creio que fez todo o sentido iniciar o meu percurso com a literatura fantástica. O instinto uniu-se à criatividade, mergulhando assim, num mundo mágico que habitava dentro de mim, desenrolando-se, satisfatoriamente, por si, de uma forma genuína e natural.

MBC – Só escreves dentro deste género? Queres dizer-nos o motivo desta tua escolha literária?
SJ - Não gosto de rotular a minha escrita, pois adapto-me facilmente a diferentes desafios. Acima de tudo, prezo emoções. Sejam as emoções que me percorrem ao escrever, ou as que os meus leitores me transmitem terem sentido, ao lerem as minhas palavras. Um bom exemplo foi o tremendo sucesso da minha participação na colectânea de cartas de amor,"Três quartos de um amor", onde escrevi uma carta: "Para a minha futura criança", retratando todo um conjunto de emoções que arrancaram imensas lágrimas por parte de muitos leitores.

MBC – Porquê Liberum?
SJ - Liberum, que significa liberdade em latim, tem um significado duplo. Simboliza o reino principal da história - Reino de Liberum - bem como todos os seus habitantes, primeiramente através do sonho e, mais tarde, através do segredo. Em simultâneo, a escolha desta palavra, reflecte a liberdade que eu secretamente desejei poder proporcionar aos meus leitores. Um momento de paz, um bom momento de leitura, um refúgio do mundo real, um fragmento de liberdade.

MBC – Sendo “O Sonho de Liberum” o primeiro livro desta saga e “E Segredo de Liberum” o segundo a questão que se coloca é para quando um novo volume?
SJ - A estrutura do último livro desta trilogia foi sendo gradualmente construída aquando a escrita do Segredo de Liberum. Face à recepção extremamente positiva por parte dos leitores, ansiando assim saber o final desta história, tenho tentado conciliar todos os projectos em que estou envolvida, para dar vida ao último volume, o mais breve possível.

MBC – Será que nos podes desvendar um pouco da história desta saga? Será composta por quantos volumes?
SJ - Portanto, é uma trilogia, pelo que o terceiro volume será o último desta aventura mágica. O primeiro livro permite ao leitor aproximar-se de diversas personagens, caracterizadas por diferentes capacidades mágicas, através dos cinco elementos: Água, Terra, Ar, Fogo e Espírito. Ao longo de um rumo cénico incrível, predomina uma viagem de auto descoberta, crescimento e aceitação por parte da personagem principal, Gweniver, enquanto é confrontada com obstáculos e desafios temíveis. O segundo volume acontece dezassete anos depois. Predominam-se as teias do destino, num desenrolar enigmático, contagiante e assombroso, onde os segredos parecem não ter fim. Ambos os livros exploram diversas formas de amor e inúmeros valores morais, que oferecem ao leitor, uma perspectiva quase real, apesar de se tratar de um mundo fictício.

MBC – Tens mais alguma obra escrita de que ainda não tenhamos conhecimento?
SJ - Como já referi a título de exemplo, tenho editada uma carta de amor chamada "Para a minha futura criança". Está inserida no primeiro volume de uma colectânea de cartas de amor, "Três quartos de um amor". Entretanto, tenho vários projectos a aguardarem tempo para que possam ser devidamente desenvolvidos, editados e colocados nas mãos dos meus leitores incríveis.

MBC – Novas surpresas literárias para um futuro próximo?
SJ - Sim! Num futuro bem próximo, vão poder acompanhar um projecto literário solidário, no qual
fui convidada a participar e, tal como prometido, ainda que sem o compromisso de uma data, estou a trabalhar no último volume da trilogia.

MBC – Publicaste os teus livros com a Chiado Editora, mas tendo crescido no Estados Unidos da América já existem traduções disponíveis para os leitores americanos?
SJ - Seria absolutamente mágico se o facto de eu ter crescido num determinado país me permitisse a tradução do meu trabalho no próprio local, mas, as coisas não funcionam assim. Contudo, não é segredo que ambiciono ver o meu trabalho traduzido noutras línguas, incluindo claro, o Inglês, abrangendo não só, mas também, os leitores americanos.

MBC – Como reagiu a comunidade portuguesa no Canadá quando puderam ler os teus livros? E não me refiro somente a quem te conhece, amigos e família, mas sim à enorme comunidade portuguesa emigrada.
SJ - Não podia ter desejado uma recepção mais calorosa. Foi a primeira vez que visitei o país enquanto escritora e tive a honra de contar com o apoio da Coordenação da Língua Portuguesa no Canadá. Visitei mais do que uma turma de uma escola portuguesa, três rádios e um telejornal. Senti-me verdadeiramente grata pelo apoio que me foi prestado por parte de todas as entidades e amizades. Conheci imensas pessoas, maioritariamente emigrantes, e senti nelas, a saudade colossal que tinham de Portugal, bem como de tudo o que é português. Creio que ter levado um pouco da minha literatura, também ela portuguesa, foi extremamente especial, para mim, e para todos os que contactaram com as minhas palavras.

MBC – As apresentações que tens feito tem aumentado o teu número de seguidores, tens alguma ideia de como te divulgar melhor de forma a atingir um maior número de leitores?
SJ - O meu primeiro passo foi acreditar no meu trabalho, independentemente dos resultados, sem expectativas. Para mim, não é a quantidade de seguidores que me definem enquanto escritora, é a qualidade das minhas palavras. Ainda assim, nunca devemos rejeitar oportunidades, especialmente as que mais nos assustam. É necessário ser realista: se não somos uma figura conhecida do público e se não temos um nome, que só por si, chame leitores, é necessária uma grande dose de persistência e paciência para gradualmente, conquistar uma maior visibilidade. Eu não permito que o meu sucesso se traduza em números, porque para um escritor que escreve, porque simplesmente ama escrever, basta ter um único leitor, que se renda às suas palavras e histórias, para que seja bem sucedido.

MBC – Onde é que se podem adquirir os teus livros?
SJ - Tem havido uma aposta cada vez maior nas vendas online, pelo que se poderá encontrar as minhas obras em inúmeras plataformas tais como a FNAC, Bertrand, Wook, Kobo, a própria plataforma da Chiado Editora, Cultura, Saraiva... etc. Os meus livros também se encontram em muitas livrarias tradicionais, portanto questionem junto do balcão da vossa loja literária preferida, caso não tenham, a própria pode estabelecer contacto comigo ou com a minha editora a fim de solucionar a questão. Para encomendar um livro com uma dedicatória especial, sugiro sempre o meu site: www.susanacjudice.pt

MBC – Queres deixar-nos os teus contactos nas redes sociais para que os leitores possam seguir o teu trabalho?
SJ - Sim, claro! O meu site, www.susanacjudice.pt contém grande parte do meu percurso, citações e curiosidades. No Facebook e no Instagram procurem @susanacjudice e comentem ou deixem mensagem que eu respondo logo que me seja possível.

MBC– Gostavas de deixar um comentário aos leitores agora que te ficaram a conhecer um pouco melhor?
SJ - Para os que acreditam, nada é impossível. Apostem na felicidade, através da conquista dos vossos sonhos. Abracem a luta que, um dia, se assim o desejarem, vos levará ao sucesso. Sejam ambiciosos, corajosos e persistentes. Sejam uma inspiração para alguém. Sintam orgulho na vossa essência. Sejam felizes.

Segredo de Liberum

Sinopse

Quando os segredos são demasiado obscuros, entre a morte e o perdão, qual o limite do amor? Após a derrota de Galium, o rei maléfico do Reino de Liberum, Gweniver de Essentia entregou-se a uma vida que lhe preencheu a alma. Casou-se com o seu soldado, Dominic e, desse grande amor, nasceram duas crianças muito especiais – a Arianne e o Lucca. Ao longo de dezassete anos, os reinos foram embalados num equilíbrio feliz e inocente. Inesperadamente, a Gweniver volta a ser assombrada pela visão de uns jovens e temidos olhos azuis, e pela questão que lhe atormentou ao longo de tantos anos – quem era o Seth. Rapidamente, é confrontada, com a consequência de uma escolha do seu passado, enquanto vê a sua família a ser separada e colocada em perigo. Segredos sombrios revelam-se impiedosamente, colocando à prova a fé mais inabalável, com cada emoção à flor da pele. Numa incrível corrida contra o tempo, onde as diferentes perspetivas transportam o leitor de uma forma mágica, cada personagem é colocada à prova. Uma escolha, um amor improvável, uma nova ameaça e um sacrifício, entrelaçam-se grandiosamente, revelando as teias do destino, traçadas pelos deuses. Afinal de contas, tudo o que nos assustava no passado é nada, comparado com o que nos assusta no presente.


Sonho de Liberum

Sinopse

"Preparada para se tornar líder do Reino de Essentia, Gweniver vê a sua vida invadida por uma profecia tornada realidade: ela é a escolhida, com ligação aos cinco elementos mágicos e o principal alvo de Galium, um rei maléfico obcecado em impedir o cumprimento da profecia.
Do meio do caos surge Dominic, um misterioso soldado determinado a proteger Gweniver, até com a própria vida. Juntos vão tentar desvendar a localização das flechas mágicas, enfrentando perigos inimagináveis com a missão de derrotar a ditadura de Galium.
O amor que cresce entre ambos poderá ser a salvação ou a perdição da profecia e, ainda, a morte de Gweniver..."


domingo, 17 de fevereiro de 2019

LITERATURA / Uma Questão de Conveniência de Sayaka Murata / DOM QUIXOTE - Rita Kohl

Nas livrarias a 26 de Fevereiro


Keiko foi sempre estranha — e os pais perguntam-se onde encaixará ela no mundo real. Por isso, quando a rapariga resolve ir trabalhar para uma loja de conveniência, a notícia é recebida com entusiasmo, até porque na loja ela encontra um mundo bastante previsível, que domina com a ajuda de um manual e copiando os colegas até na forma de falar. Mas aos 36 anos é ainda na mesma loja de conveniência que trabalha, e além disso nunca teve um namorado, frustrando as expectativas da sociedade… Embora Keiko não se importe com isso, sabe que a família e os amigos estão mais ou menos desesperados. Um dia, porém, é contratado para a loja um rapaz com o qual Keiko tem algumas afinidades. Não será então aconselhável para ambos um relacionamento?

Sayaka Murata, uma das vozes mais originais e talentosas da ficção contemporânea japonesa, capta brilhantemente a atmosfera de uma loja de conveniência e satiriza as obsessões que regem a sociedade e a pressão exercida sobre as mulheres no sentido de cumprirem expectativas alheias, com o pretexto de terem uma vida «normal».

sábado, 16 de fevereiro de 2019

LITERATURA / O Café de Lenine de Nuno Júdice / DOM QUIXOTE

Nas livrarias a 19 de Fevereiro



Neste livro tudo é possível: uma solução ecológica para evitar o fim da imprensa em papel, a reabilitação das baratas a partir de um almoço com Arrabal, a descida ao último círculo do Inferno numa mina de cobre do Chile, onde Lúcifer espera por um subsídio de reintegração social, uma noite com Emma Bovary num quarto do Luxemburgo, Rousseau apontado como exemplo numa conversa entre Guerra Junqueiro e Lenine num café de Berna, a procura infrutífera de combates no campo de Waterloo atrás de Fabrice del Dongo, fugido da Cartuxa de Parma de Stendhal.

Uma obra fora do comum que, atravessando várias épocas, rouba personagens a grandes clássicos da literatura, e combina ficção, crónica, memórias e reflexão.
Pouco aconselhável para quem gosta do politicamente correcto.

domingo, 10 de fevereiro de 2019

S Valentim19

LITERATURA / Torto Arado de Itamar Vieira Junior / LeYa - Vencedor do Prémio LeYa 2018

Nas livrarias a 12 de Fevereiro


Um romance polifónico belo e comovente que conta uma história de vida e morte, combate e redenção, de personagens que atravessaram o tempo sem nunca conseguirem sair do anonimato.

Bibiana e Belonísia são filhas de trabalhadores de uma fazenda no sertão da Bahia, descendentes de escravos para quem a abolição nunca passou de uma data marcada no calendário. Intrigadas com uma mala misteriosa sob a cama da avó, pagam o atrevimento de lhe pôr a mão com um acidente que mudará para sempre as suas vidas, tornando-se tão dependentes que uma será até a voz da outra.

Porém, com o avançar dos anos, a proximidade vai desfazer-se com a perspectiva que cada uma tem sobre o que as rodeia: enquanto Belonísia parece satisfeita com o trabalho na fazenda e os encantos do pai, Zeca Chapéu Grande, entre velas, incensos e ladainhas, Bibiana percebe desde cedo a injustiça da servidão que há três décadas é imposta à família e decide lutar pelo direito à terra e pela emancipação dos trabalhadores. Para isso, porém, é obrigada a partir, separando-se da irmã.

sábado, 9 de fevereiro de 2019

LITERATURA / A Cor do Hibisco de Chimamanda Ngozi Adichie / DOM QUIXOTE - Tradução de Tânia Ganho

Nas livrarias a 12 de Fevereiro


Os limites do mundo da jovem Kambili são definidos pelos muros da luxuosa propriedade da família e pelas regras de um pai repressivo.

O dia-a-dia é regulado por horários: rezar, dormir, estudar e rezar ainda mais. A sua vida é privilegiada mas o ambiente familiar é tenso. O pai tem expectativas irreais para a mulher e os filhos, e pune-os severamente quando se mostram menos que perfeitos.

Quando um golpe militar ameaça fazer desmoronar a Nigéria, o pai de Kambili envia-a, juntamente com o irmão, para casa da tia. É aí, nessa casa cheia de energia e riso, que ela descobre todo um novo mundo onde os livros não são proibidos, os aromas a caril e noz-moscada impregnam o ar, e a alegria dos primos ecoa.

Esta visita vai despertá-la para a vida e para o amor e acabar de vez com o silêncio sufocante que a amordaçava. Mas a sua desobediência vai ter consequências inesperadas.
Uma obra sobre liberdade, amor e ódio, e a linha ténue que separa a infância da idade adulta, que marcou a estreia de uma escritora extraordinária.

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2019

ENTREVISTA | Rubrica: Mulheres empreendedoras #1


Cláudia tem 40 anos, é administrativa e mãe de 3. Tendo sentido necessidade de aumentar o rendimento familiar, procurou a melhor forma de rentabilizar o tempo livre com uma actividade que não lhe “roubasse” tempo em casa e que simultaneamente fosse prazerosa. Assim, depois de umas pesquisas e alguns contactos decidiu enveredar num mercado aliciante no qual tinha interesse há alguns anos. Cláudia tornou-se há cerca de um ano consultora da Maleta Cleo's Fantasy.

Como é que surgiu essa ideia?
A ideia já surgiu há uns anos, na altura em que se começou a ouvir falar em reuniões da maleta, mas na altura com duas crianças ainda muito pequenas e bastante dependentes de mim, não foi possível conciliar a vida familiar com mais um trabalho extra. O ano passado, devido a necessitar de ter um rendimento extra, fiz uma pesquisa sobre possíveis negócios em que não fosse necessário fazer um grande investimento e voltei a lembrar-me das tais reuniões. Procurei informação sobre o que seria preciso para iniciar e assim foi, um mês depois estava a fazer a minha primeira experiência no ramo do erotismo.

Porquê artigos eróticos quando há uma variedade tão grande de produtos que se podem vender online?
Para alem de um trabalho extra, queria também algo que me desse prazer em fazer. Sabes aquele trabalho em que não vês a hora de começar e ao mesmo tempo não queres que acabe tão cedo? Era isso que queria e consegui. Sempre me interessei pelos temas sexualidade e erotismo, fui descobrindo que é um tema muito abrangente e também ainda cheio de tabus. As reuniões permitem que eu fale sobre esses temas com outras mulheres. Durante cerca de duas horas, brinca-se e aprende-se ao mesmo tempo.

Sentes que ainda há muito preconceito?
Bastante. É um assunto Tabu. Vivemos numa sociedade de “rótulos”. Faças o que fizeres és “rotulada”. No que diz respeito a erotismo e sexualidade, seja quem vende, compra, etc, dá para imaginar os “rótulos” que são.
Por exemplo, esta semana uma revista perguntou num grupo de Facebook se haviam empreendedoras que quisessem oferecer algo dos seus negócios para um passatempo do dia dos namorados, em troca seria feita publicidade e divulgação da empresa. Eu enviei uma mensagem para a pessoa que fez o post. A resposta que me deram é que sendo um produto da área do erotismo não convinha. No entanto eu apenas dei a ideia de um kit com óleos de massagem e alguns lubrificantes. A caixa nem dá para perceber do que se trata.
Também já me aconteceu ter comprado um terminal TPA e passados uns meses fecharem a minha conta de cliente por se tratar de um negócio que eles consideram entretenimento de adultos.
Por tudo isto, preconceito é coisa que não falta. Preconceito e mal entendidos.
Tenho um perfil profissional no facebook, onde de início apenas adicionei pessoas conhecidas, com o tempo fui adicionando mais pessoas e alguns homens chegaram a enviar mensagens porque achavam que como vendo produtos eróticos, também prestava outros serviços.

Como lidas com o assédio desses homens?
Ignoro por completo. Se for em redes sociais um bloqueio resolve o assunto. Pessoalmente assédio nunca aconteceu mas já senti o ar de repulsa de outra mulheres em relação a mim.

Como funcionam então as tuas reuniões e de que forma chegas aos teus clientes?
Nas reuniões poderá conhecer melhor os produtos da Maleta
As reuniões são muito engraçadas, tens de ir a uma.
Vou então explicar, para tu e quem nos lê perceber um pouco melhor. Lembras-te das reuniões de tupperware? As da Maleta são mais ao menos a mesma coisa mas com artigos bem mais divertidos.
O conceito “reunião da maleta” ou “reunião de Tuppersex”, consiste em que uma assessora se desloque com uma maleta (trolley de viagem)  a casa de uma das participantes. Não há um número mínimo ou máximo de participantes. O contacto para uma reunião é sempre feito pelas clientes, eu vou onde me chamarem. As reuniões têm uma duração mínima de duas horas e meia mas quase um ano depois desta aventura, duraram sempre mais, depende muito da interação das participantes.
Nas reuniões são mostrados vários artigos, desde artigos de saúde íntima e sexual, a lingerie e brinquedos. As participantes experimentam alguns dos produtos e da minha parte também vou fazendo umas brincadeiras com elas. São uma animação. Adoro.

Uma pessoa que vai para uma primeira reunião vai de mente aberta ou ainda tem preconceitos e ideias pré concebida erradas?
Depende. Normalmente quem me contacta já sabe o conceito de uma reunião, às vezes até já participaram em algumas. O que pode acontecer é outras participantes não saberem. Mas é uma coisa que no inicio da reunião pergunto sempre. Se já participaram, se já ouviram falar, até para eu possa ter uma ideia de como devo conduzir a reunião. No decorrer da reunião vou observando o grupo para saber até onde posso ir, que expressões posso ou não usar. Outra coisa que também já reparei é de que a maioria das participantes pensa que a utilização de alguns artigos eróticos é uma substituição de um parceiro e esse pensamento está completamente errado. Mas posso dizer que há muito mais abertura nas pessoas do Norte do país, do que nas pessoas do centro.

Na tua opinião, achas que de alguma forma as 50 sombras de Grey e o crescimento da literatura erótica no mercado pode ter contribuído para uma maior abertura a este tipo de artigos?
As encomendas chegam de forma discreta e personalizada
Tenho certeza que sim. Contribuíram sobretudo para que as pessoas tivessem interesse em ver artigos e experimentar,  outro motivo importante é que leva as pessoas a lerem. Seja porque motivo for, a literatura faz bem à alma, ensina, faz com que as pessoas pensem, questionem, procurem informação e no caso específico da literatura erótica faz com que as pessoas alarguem os seus horizontes e percebam que a sexualidade não é um bicho de sete cabeças.  Deixo apenas o alerta para procurarem  mais informação junto de especialistas, quando decidirem experimentar algo novo e diferente, pois nem tudo é tão linear como se lê em livros ou se vê em filmes.

Tu acabas por fazer também aconselhamento sexual. Achas que ainda há muita falta de informação neste campo?
Existe alguma falta de informação. Repetindo o que disse na resposta anterior, o melhor que as pessoas têm a fazer quando pretendem fazer algo novo e diferente, é procurarem informar-se com um especialista, por dois motivos. O primeiro e depois de ouvirem a explicação, se realmente querem prosseguir com o que tinham em mente. O segundo é, estando bem aconselhadas sabem como proceder e podem aproveitar muito melhor o momento.
Vou dar um exemplo de uma cena que vi no segundo filme das 50 Sombras de Grey. O Mr. Grey entende que seria giro a Anastasia utilizar umas bolas de kegel, lubrificando as mesmas apenas com a saliva. Este tipo de situação na vida real, pode provocar desconforto e se as bolas forem mal introduzidas, até alguma lesão, acrescento ainda que no filme não se vê em que parte do corpo elas são utilizadas, só por aí e quem não souber onde e como, já pode provocar uma situação menos agradável.

É aí que entra também o teu papel? Não só a venda mas também mostrar como cada objecto funciona para que os teus clientes possam disfrutar dos mesmos sem acidentes?
Sim. As reuniões da maleta servem para isso. Como são feitas num ambiente intimista, as participantes têm contacto directo com o produto. Podem por exemplo, provar lubrificantes, experimentar óleos, perfumes e lingerie. É sempre dada por mim a explicação para cada produto que há dentro da mala à medida que os vou mostrando. É importante que as meninas saibam como usar os artigos que adquirem.

Mas não te vais ficar só pela venda de artigos eróticos e reuniões de tuppersex, estás com outros projectos em mãos. Queres falar um pouco sobre isso?

Neste momento estou na fase de construção de duas lojas online. Uma delas vai ser a continuação do Projecto da Maleta Cleo´s Fantasy, ou seja, uma sex shop online que ficará com o mesmo nome “Cleo´s Fantasy”. A outra loja será de vestuário, outra área onde também tenho bastante experiência, entretanto já tenho página no facebook, chama-se Stilus FashionStore. A linha da roupa é sobretudo jovem mas quero explorar um pouco de todo o tipo. Quero que todas as pessoas possam conseguir encontrar os seus números, desde o XS aos tamanhos grandes. Na loja online e na página do Facebook pretendo colocar fotos de pessoas “reais” a usar algumas peças de roupa que se encontram à venda, para isso vou contar com a colaboração de pessoas amigas.



Entrevista por: Vera Carregueira

sábado, 2 de fevereiro de 2019

LITERATURA / Homens de Pó de ANTÓNIO TAVARES / DOM QUIXOTE

Nas livrarias a 5 de Fevereiro


Portugal, Verão Quente de 1975. A fervilhante Revolução dos Cravos deu subitamente lugar a um imenso caos social e político; o País, em plena convulsão, está à beira da guerra civil. O poder disputa-se nos quartéis, nas ruas, nos campos, nas fábricas…

O velho império de Quinhentos agoniza, com a independência das colónias e o êxodo de centenas de milhares de pessoas que regressam à velha metrópole. Entre estas, vêm também africanos num exílio forçado, imposto pela guerra e pela instabilidade, sobretudo de Angola. Esta é a história de um punhado desses homens em busca da sua identidade e de um lugar, num Portugal fragmentado que desconhecem.

Operários de estradas labutam de sol a sol; estão fora e dentro do mundo, vivendo sob o manto de uma poeira que os torna fantasmas e sombras num teatro de mudança, cujo palco é um país que também parece andar à procura de si próprio. Às vezes choram, acreditam, lutam, apaixonam-se, perguntam que será feito dos que ficaram.

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2019

20190201 125136





Obrigada a todos que colaboraram com este projecto.

LITERATURA / A Capital de ROBERT MENASSE / DOM QUIXOTE - Tradução de Paulo Rêgo

Nas livrarias a 5 de Fevereiro


O primeiro grande romance sobre a União Europeia.
Um trabalho ambicioso, que narra os meandros da vida política.

Bruxelas é o coração da União Europeia e também deste romance.

Robert Menasse leva-nos numa viagem ao interior da vida política europeia através de cinco histórias interligadas, que abordam o quotidiano desta cidade a partir de diferentes perspetivas. A Capital segue de perto o destino dos seus personagens nos frequentes encontros que têm entre si, expondo as suas vidas profissionais e mergulhando nas suas coloridas vidas privadas, longe de escritórios e salas de reuniões. Ao mesmo tempo, constrói uma ponte narrativa entre diferentes épocas e nações, entre o inevitável e a ironia do destino, entre a burocracia mesquinha e os grandes sentimentos. O olhar penetrante de Menasse, cheio de humor e ironia, torna a leitura deste romance tão irresistível quanto importante nos atuais tempos de ressurgimento de nacionalismos, desde o Brexit até à Declaração de Independência da Catalunha.

quinta-feira, 31 de janeiro de 2019

LITERATURA / LANÇAMENTO LIVRO DE ANTÓNIO COSTA NEVES /SAÍDA DE EMERGÊNCIA

LANÇAMENTO NO DIA 02 FEVEREIRO



Um livro que conta a história de um dos conflitos mais sanguinários da História de Portugal. Opondo os absolutistas de D. Miguel aos liberais de D. Pedro. Esta guerra civil arrastou-se por seis anos e dividiu o país, virando pais contra filhos e irmãos contra irmãos.

Sangue de Portugal é uma saga complexa e vibrante que acompanha o percurso sinuoso de Carlos Boavida, um jovem liberal que aspira a um Portugal mais moderno, e cujos companheiros de batalha incluem nomes como Almeida Garrett e Alexandre Herculano. No campo oposto acompanha uma galeria impressionante de miguelistas, como o capitão-mor Tomás Alcaide, homem de ambição desmedida e crueldade ímpar.

LITERATURA Antologia de poemas escolhidos de João Luís Barreto Guimarães

Ao completar trinta anos de vida literária, João Luís Barreto Guimarães, que além de poeta e tradutor também é médico (licenciou-se em Medicina e Cirurgia), regressa à edição com O Tempo Avança por Sílabas, antologia de cem poemas escolhidos pelo autor, a partir dos dez livros que publicou entre Há Violinos na Tribo, em 1989, e Nómada, em 2018. O Tempo Avança por Sílabas chega às livrarias a 1 de fevereiro. Conjugando fragmentos do quotidiano com a História e a memória, a sua poesia – irónica, biográfica, melancólica, musical – captura objetos e instantes do presente, na fronteira entre a poesia e a prosa, refletindo sobre o lugar da escrita (a casa, o café, a cidade, a viagem) e o tempo de hoje.

Sobre o autor
João Luís Barreto Guimarães nasceu no Porto, a 3 de junho de 1967. Poeta e tradutor, divide oseu tempo entre Leça da Palmeira e Venade. O Tempo Avança por Sílabas reúne cem poemas selecionados pelo autor, dos dez livros que publicou até ao momento. É o seu quinto livro na Quetzal,
após a publicação dos primeiros sete títulos na Poesia Reunida, em 2011, Você Está Aqui, em 2013, Mediterrâneo, em 2016, ao qual foi atribuído o Prémio Nacional de Poesia António Ramos Rosa, e Nómada, em 2018. A sua obra está representada em antologias poéticas e revistas literárias de numerosos países, tendo Mediterrâneo sido publicado em espanhol.

LITERATURA / "…mais um enredo complexo, misterioso e interessante…” do autor PAULO COSTA GONÇALVES



Sinopse:
Baseando-se num dos textos mais fascinantes no estudo das incursões nórdicas no
ocidente peninsular e cujo documento original não chegou aos nossos dias, existindo apenas uma cópia datada do século XVII, o autor cria mais um enredo complexo, misterioso e interessante. Estamos perante uma nova história que, além de voltar a fazer o cruzamento com a História passada, leva inicialmente e pela primeira vez na sua vida de investigador, o “seu” inspetor Alex a sentir algo parecido com o verdadeiro medo que, no entanto, é superado pela perspicácia e inteligência a que nos habituou nas histórias anteriores. O livro lê-se com aquele interesse que “obriga” a virar cada página à procura da solução das sucessivas situações de mistério e dúvida, encontradas na página anterior. Novamente, com uma leitura fácil mas, ao mesmo tempo, com a complexidade inerente às ligações ancestrais da História e dos mistérios que passaram pelo que é, agora, território português. O clímax da narrativa é imprevisível e garante emoções fortes mesmo até à última página.
(15,00€ já com portes de envio)


Sobre o autor:
Licenciado em Sociologia e colaborador pontual em projectos de investigação sociológica, tornou-se um escritor habilitado “por necessidade” de contar histórias
perspicazes, que surpreendessem o leitor e os embrenhassem em momentos de passados, já esquecidos, mas que mantem os mistérios da História. Após o lançamento da sua primeira obra, vergou-se à realidade dos factos e decidiu singrar na arte da escrita, não só pelo sucesso alcançado com o primeiro trabalho, mas porque era necessário dar continuidade ao tema e levar os seus leitores a acompanhar os meandros do enredo de uma história fantástica. A partir do ano de 2011, Paulo Costa Gonçalves passou de uma situação estável para a mesma situação de milhares de portugueses! De “remediado” a “gajo à rasca”, foi um ápice e nessa situação, apesar do sucesso do seu primeiro trabalho literário, permanece até hoje…
Para adquirirem o livro autografado devem entrar directamente em contacto com o autor para: