sexta-feira, 22 de setembro de 2017

OPINIÃO | Receita... | MARGARIDA VERÍSSIMO

Coloco vários cubos de gelo no copo largo de pé. Faço um movimento circular permitindo que toda a superfície de vidro arrefeça em contacto com o gelo. No fogão, o tacho de barro já tem cebola e alho a estrugir numa generosa dose de azeite. São adicionados alguns raminhos de coentros e uma folha de louro, sentindo-se de imediato o seu aroma. Corto uma lâmina de casca de lima e dobro-a para que os pequenos poros da pele rebentem e libertem toda a essência que será transferida para a superfície interior do copo. Sirvo uma dose de gin e uma de água tónica, de boa qualidade. Acrescento algumas bagas de zimbro e fios de casca de lima - o aroma que emana do copo é fresco e com um toque de acidez. Distraí-me na preparação do gin e mais uma vez não vi qual o ingrediente misterioso usado na confeção do divinal arroz de marisco que ele teima em não me revelar. Tanto melhor, será sempre ele o chefe responsável pela sua confeção. A mim irá saber-me maravilhosamente. A sua fragrância deliciosa já alastrou a toda a casa, está em bom andamento. O vinho verde repousa no frio, será servido bem gelado com o prato principal.

Enquanto finaliza o arroz de marisco bebe o gin tónico que preparei. Entre ingredientes e mexedelas aproveito para bebericar também, ficou delicioso. Foram, entretanto, preparados outros aperitivos para acompanhar os petiscos que já estão sobre a mesa: queijo creme envolvido em mel, morcela e farinheira grelhadas e ainda queijo do Rabaçal. No centro da mesa há um cesto com tostas, broa de milho e pão fatiado. Para finalizar a refeição há melão casca de carvalho, mas tenho dúvidas que no fim alguém tenha estomago para ele.

A refeição decorreu animada e prolongou-se noite dentro. Várias garrafas de vinho foram abertas e consumidas. No final não sobrou nada do melão que se revelou uma solução acertada, para além de extremamente saborosa. A noite foi quente, de ânimos e de temperatura e o melão fresco ajudou a refrear e a refrescar, mantendo a boa disposição entre amigos.

Estas jantaradas de fim-de-semana têm a capacidade de renovar energias, de alimentar amizades, de fazer esquecer os descontentamentos do dia-a-dia, de celebrar a vida e de partilhar sabores. O convívio entre amigos quando é feito à volta de uma mesa, partilhando refeições, fortalece as raízes que sustentam essa mesma amizade. O mesmo alimento que sacia o corpo alimenta a amizade, revigorando-a.

Somos mestres na arte de alimentar laços e desconfio que não é apenas pelo simples prazer do paladar que a nossa gastronomia é tão rica, variada e saborosa, mas pela importância que lhe reconhecemos nas relações humanas.

Podemos partilhar refeições frequentemente com o mesmo grupo de amigos, mas os repastos serão sempre diferentes, haverá sempre um prato novo a experimentar, a apurar, uma inovação que se quer apresentar… e as refeições serão sempre prolongadas, acompanhadas com um bom vinho para soltar as emoções retraídas do quotidiano. A variedade e diversidade das refeições em família é uma meta que tentamos atingir. Apesar da falta de tempo caraterística da nossa vida ocupada, faz-se um esforço para que o momento seja agradável e harmonioso, ao paladar e ao convívio, com experiências gastronómicas, introdução de novos alimentos aos membros mais novos da família e a oportunidade de proporcionar conversas despreocupadas. Na altura mais feliz da minha vida profissional, com um ambiente irrepetível entre colegas e chefe, pela amizade, respeito, colaboração, apoio e dinâmica de trabalho, a equipa, estimulada pelo líder, fazia reuniões de trabalho em almoços que se prolongavam pela tarde. Nunca foi tempo de trabalho desperdiçado, bem pelo contrário, as reuniões à volta da mesa de refeição foram sempre muito produtivas e isso refletia-se na execução das nossas tarefas. Houvesse mais chefes e patrões a perceber estas dinâmicas e decerto a produtividade do país aumentava!















Margarida Veríssimo

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

LITERATURA | Sob Estranhos Céus | PAULO COSTA GONÇALVES

























SINOPSE

Recriando um enredo complexo e interessante, Paulo Costa Gonçalves cruza a História com as suas histórias, num desafio nada fácil de concretizar e que deu forma ao livro “ O Herdeiro de Antioquia”. Criando um romance ficcional, que conjuga um trama que perpassa quase mil anos de História, até à Lisboa contemporânea de 2013 e partindo de um facto histórico – a conquista da Cidade de Antioquia, uma das páginas mais negras e obscuras da história da cristandade, ocorrida em 1098, aquando da 1ª. Cruzada – Paulo Costa Gonçalves realiza uma sequela que atravessa de forma arrepiante as paixões, os sentimentos e ambições de personagens marcadas pela lendária maldição, num ritmo frenético que prende o leitor. A história enreda-se em pistas e contra pistas, dando forma a laivos de surpresas que surgem a cada momento da acção. O clímax é imprevisível e garante emoções fortes até à última página.

ANIMAIS | CABRA DE LEQUE

Resposta à questão colocada ontem.

Questão: Como se chama em sul-africano o salto desta cabra e até que altura o consegue fazer?

“Pronk”, até 2 metros de altura.

Fonte: Jardim Zoológico de Lisboa
Resultado de imagem para logo jardim zoologico lisboa

ANIMAIS | HOTEL PARA CÃES EM PLENO PARQUE NATURAL DA ARRÁBIDA (AZEITÃO)


Serviços para animais de estimação
Férias Caninas
Dog Walking
Pet Sitting

FÉRIAS CANINAS

A nossa hospedagem para cães oferece um serviço especial para o seu animal de estimação, em ambiente familiar e com todo o conforto que ele merece.

ALOJAMENTO

A Pelos & Animais situa-se em pleno Parque Natural da Arrábida (Azeitão), onde a natureza convida a explorar todos os sentidos ao longo de mais de um hectare de terreno.
Aqui promovemos a libertação de energia através de actividades como apanhar bolas, discos, e muitas brincadeiras enquanto sociabilizam.
No nosso espaço, o seu cão pode entrar em casa e conviver com a família, tudo para que a sua estadia seja feita no ambiente mais natural possível!
Recebemos até um máximo de 10 cães, não porque falte espaço, mas porque queremos oferecer-lhe toda a atenção que ele merece!

Preços: 10€/noite por cão/cadela esterilizados
              15€/noite cães machos não esterilizados

A estadia incluí ração Happy Dog exceto se precisar de uma ração específica de tratamento

Requisitos obrigatórios: microchip, boletim de vacinas em dia, incluíndo vacina para a tosse do canil (KC ou Pneumodog), desparasitação interna e externa. Só aceitamos cadelas que estejam esterilizadas.

Horários: 9:00 - 19:00

Para mais informações contacte-nos: pelosanimais@gmail.com / 936304386

Também vamos a casa - Pet Sitting
Se não pretende deixar o seu animal de estinação num hotel, e prefere que ele fique em casa no seu ambiente, não se preocupe - Nós vamos a casa tratar dele.
Contacte-nos:
Email: pelosanimais@gmail.com
Telefones: 93 630 43 86 / 93 563 82 42



Visite-nos em:  http://www.peloseanimais.com/

CINEMA | Cineclube Impala - "Match Point" | 21 SETEMBRO

Cineclube Impala - \'Match Point\'


CICLO DE GRANDES REALIZADORES AMERICANOS

SINOPSE : "Match Point" de Woody Allen não tem Woody Allen como protagonista nem tem Nova Iorque como cenário. Chris é um jovem professor de ténis que sonha pertencer à alta sociedade britânica. Sonho esse que começa a tomar forma quando um dos seus alunos, Tom, o apresenta à família, aos pais e à irmã, que ficam fascinados com o seu gosto pela ópera e pelas artes. Mas Chris pode cair em tentação com a bela namorada também plebeia de Tom, uma americana aspirante a actriz que transpira sensualidade...
GÉNERO : Drama, Thriller
ELENCO : Scarlett Johansson, Jonathan Rhys-Meyers, Emily Mortimer
PRODUÇÃO: REINO UNIDO, 2005, Cores, 124 min.
TRAILER: https://youtu.be/w9dRrsKRwgA
***********
ENTRADA: Donativos de Eur 1,00 = Sócios / Eur 2,00 = Não 
Sócios.


OPINIÃO | Ser Diferente | MAFALDA PASCOAL

Às vezes tu perdes
Às vezes tu ganhas
E ainda às vezes
Ficas numa alucinação
Procuras sem encontrar
Encontras sem procurar
Numa luta diária
Inspirando e expirando
Lá vais andando
Hoje parece que sim
Amanhã nem tanto assim
Ontem acreditavas conseguir
Agora só se for a sorrir
Sorrindo a vida toma cor
E a paixão dá-lhe brilho
Vive cada momento
Ausente de tormento
Inspira Amor
Expira compaixão
Inspira aprendizagem
Expira sabedoria
Contagia quem te rodeia
Nas tuas mãos
Está a mudança
Se te sentes deslocado
Cultiva não critiques
Não te sintas diferente
Assinala e ensina essa diferença
Tu sabes
A sabedoria está dentro de ti
Mostra ao mundo
O valor dessa diferença
Faz cintilar o teu brilho
Ofuscando quem estagnou
Tudo o que tem vida
Está em constante mutação
Por isso não podes parar
Dá um passo em frente
Não regridas na tua evolução
Vai
Ensina sabiamente
E nas pequeninas coisas
Terás a compensação.

Fica atento...















Mafalda Pascoal

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

LITERATURA | O Herdeiro de Antioquia | PAULO COSTA GONÇALVES

























SINOPSE

Cruzar a História com as histórias, recriando um enredo complexo e interessante, é um desafio nada fácil de concretizar mas que dá forma ao livro “O Herdeiro de Antioquia”, da autoria de Paulo Costa Gonçalves, lançado recentemente pela Chiado Editora.

Conjugando uma trama que perpassa quase mil anos de História, a partir da invasão da Cidade de Antioquia no ano de 1098 até à Lisboa cosmopolita de 2013, Paulo Costa Gonçalves atravessa de forma arrepiante as paixões e os sentimentos de uma família marcada por uma lendária maldição. 

Num ritmo frenético que prende quem a lê, a história enreda-se em pistas e contra-pistas, dando forma a laivos de inesperada surpresa que surgem a cada momento da acção, conjugando-se num clímax imprevisível que garante emoções fortes até à última página. Os protagonistas, centrados num humanismo que explica a força e a determinação com que lidam com os muitos percalços que os envolvem, oferecem-nos uma perspectiva diferente de uma Lisboa moderna e em que muito se passa para além daquilo que nos é dado ver.

ANIMAIS | CABRA DE LEQUE

cabra-de-leque (Antidorcas marsupialis) é uma pequena gazela castanha e branca, com cerca de 75 cm de altura que habita as savanas da África austral: vivem na Namíbia, sul de Angola, Botswana e África do Sul. Os machos atingem o peso de até 50 kg e as fêmeas 37 kg.

Cabra-de-leque no Parque Nacional Etosha, na NamíbiaO seu nome comum em português refere-se à característica destes animais poderem levantar uma prega de pele que possuem nos quartos traseiros até à cauda, exibindo um ostensivo 'leque' de pelos brancos e emitindo um doce odor floral. Fazem isso com frequência, quer estejam assustadas ou apenas para se exibirem. A dita prega de pele deu origem ao nome científico marsupialis. Na Namíbia, Botswana e África do Sul o nome do animal é springbok, do africâner, significando spring = salto + bok = cabra. Este nome refere-se aos saltos que estes animais dão, saltando na vertical com as quatro patas simultaneamente, como se nestas tivessem molas. Realizam estes saltos quer a partir da posição parada ou em corrida.

Era um animal muito comum, formando algumas das maiores manadas de mamíferos já documentadas (chegando mesmo a formar manadas de mais de 10 milhões de animais), mas os seus números têm vindo a decrescer desde o século XIX devido à caça e à ocupação das terras para cultivo. Continuam a ser bastante comuns especialmente em reservas de caça, juntando-se com frequência às manadas de gnus e de órix.

É um animal muito rápido, podendo atingir velocidades na ordem dos 90 km/h e mudar de direcção com muita facilidade. Porém, para poder escapar a predadores como a chita e o leão recorre ainda à fuga exibicionista conseguindo aparentemente bons resultados.

Fonte: Wikipedia e Jardim Zoológico de Lisboa

Questão: Como se chama em sul-africano o salto desta cabra e até que altura o consegue fazer?

LITERATURA | À conversa com a poetisa Mafalda Pascoal

Ainda se tem muito a errónea ideia de que já não se escreve poesia. Que faz parte de uma realidade que já não é actual. A verdade é que todos os dias somos surpreendidos por novos autores que tentam transmitir o seu próprio sentimento a quem queira ceder um pouco do seu tempo a ler. Sim, a ler o que escrevem com a alma e o coração.

Se esse é o aspecto positivo de se escrever poesia, abrir as portas da nossa alma, certamente que o menos positivo é o facto de a maior parte destes novos autores nunca chegar a ser devidamente conhecido.

Por todos os motivos que possam estar relacionados com essa enorme falha considerei importante dar o momento há tanto merecido a uma dessas poetisas que também é cronista no nosso jornal.

E nada melhor do que a própria para falar de si.  

MBC – Quem é a Mafalda Pascoal?
MP - A Mafalda é uma pessoa nascida e criada no campo. A partir dos 10 anos de idade passei a ser educada somente pela minha mãe. MÃE esta de uma coragem e ao mesmo tempo de uma fragilidade impressionantes. Ter que trabalhar sempre de cara alegre não deixando transparecer o desgosto descomunal em que se encontrava ao ser abandonada pela grande paixão da sua vida. Sozinha criou dois filhos...e assim fui crescendo...educada a respeitar os outros, a viver honestamente, a dar valor a tudo o que tinha, a viver com humildade, mas ao mesmo tempo com a certeza de que nada nem ninguém é superior a nós.

MBC – O que te motiva para escrever?
MP -  Uma necessidade premente de agarrar num lápis, num papel pequeno e escrever...assim simplesmente.

MBC – Sentes que os teus poemas são excertos dos teus sentimentos, pedaços da tua alma ou algo mais?
MP - Sim, é isso tudo, mas também dos meus sentimentos, da minha alma...e de todos os que me rodeiam. Sei que em algum momento da nossa vida, já todos nos sentimos iguais ao nosso semelhante.

MBC – Escreveste este teu primeiro livro e paraste. Sei que tens muito mais escondido literalmente no fundo da gaveta. Por esse motivo, para quando o “Momentos II”? Ou tens algum trunfo escondido na manga?
MP - (riso) Não, não tenho nenhum trunfo escondido a não ser o que está no fundo da gaveta. O "Momentos II" sairá assim que for possível :)

MBC – O que pensas da divulgação de novos autores em Portugal?
MP - Presentemente existem muito mais oportunidades para as pessoas mostrarem o que escrevem. O meu livro foi lançado em 2011 porque foi quando começou a haver mais facilidades de edição. Tenho coisas escritas com 30 anos, se estas oportunidades existissem há mais tempo, já teria mais do que 1 livro editado.

MBC – Para além da escrita quais são as tuas outras paixões?
MP - Adoro ler, pintar, observar tudo e todos, analisar comportamentos, gosto de ajudar as pessoas a crescerem espiritualmente, fazer com que se sintam bem dentro delas próprias. Gosto de fazer trabalhos manuais, por exemplo o croche ajuda-me a relaxar :)

MBC – Qual é o teu lema de vida?
MP - Ensinar aos outros o que aprendi ao longo dos anos e sentir que isso de alguma forma os irá acrescentar positivamente.

MBC – Gostarias de nos deixar aqui um poema teu que te descreva?
MP -   Sim. 
             "Escrever"!

“Pudera eu ter
O infinito nas minhas mãos
Saber do que é feito
O teu ser
O meu ser
Ter a certeza do que é a certeza
Saber decifrar o além
Eu quero escrever
Por tudo e por nada
Porque a escrever
Vou vivendo e sonhando
Enquanto eu escrever
Corro atrás do meu sonho
Qualquer papel
É meu confessionário
Uma palavra
Uma ideia
Uma frase
No papel toma corpo
Eu vou escrever
Até onde puder
Até onde chegar
Escrever o que vai na "ialma"
Que não consigo decifrar
Só se eu escrever
Escrever infinitamente
Que eu sei, mesmo assim
Nunca chegarei ao fim
Por isso vou escrever
Enquanto me deixarem
Eu vou escrever, escrever, escrever
E coisas novas sempre virão
Porque nunca chegaremos
Ao fim da questão
Quem somos?!
O que somos?!
Para onde vamos?!
Eu sempre vou escrever
Escrever, escrever, escrever...”

MBC – Que mensagem gostarias de deixar para quem começa agora neste vasto e povoado mundo da escrita?

MP - Que não desistam, escrevam sempre, porque mais tarde ou mais cedo, tudo seguirá o seu caminho...até porque é sempre bom fazer do papel nosso confessionário :)

Texto: MBarreto Condado
Fotos: Mafalda Pascoal

terça-feira, 19 de setembro de 2017

LITERATURA | A Batalha de Sekmet | VANESSA LOURENÇO

























SINOPSE

Poderá um deus com coração de herói ser o vilão da sua própria história? Os heróis não são sempre heróis, mesmo os de natureza divina. Mas a perseverança, o companheirismo e a fé em tudo o que nos move, fazem milagres. 
Das areias de um deserto longínquo do passado chega-nos a promessa de uma batalha que ameaça a permanência de toda uma espécie na terra. 
Conseguirão os nossos heróis contrariar esse destino e ultrapassar todos os desafios que vão encontrar para lá chegar?

ANIMAIS | HOTEL PARA CÃES EM PLENO PARQUE NATURAL DA ARRÁBIDA (AZEITÃO)


Serviços para animais de estimação
Férias Caninas
Dog Walking
Pet Sitting

FÉRIAS CANINAS

A nossa hospedagem para cães oferece um serviço especial para o seu animal de estimação, em ambiente familiar e com todo o conforto que ele merece.

ALOJAMENTO

A Pelos & Animais situa-se em pleno Parque Natural da Arrábida (Azeitão), onde a natureza convida a explorar todos os sentidos ao longo de mais de um hectare de terreno.
Aqui promovemos a libertação de energia através de actividades como apanhar bolas, discos, e muitas brincadeiras enquanto sociabilizam.
No nosso espaço, o seu cão pode entrar em casa e conviver com a família, tudo para que a sua estadia seja feita no ambiente mais natural possível!
Recebemos até um máximo de 10 cães, não porque falte espaço, mas porque queremos oferecer-lhe toda a atenção que ele merece!

Preços: 10€/noite por cão/cadela esterilizados
              15€/noite cães machos não esterilizados

A estadia incluí ração Happy Dog exceto se precisar de uma ração específica de tratamento

Requisitos obrigatórios: microchip, boletim de vacinas em dia, incluíndo vacina para a tosse do canil (KC ou Pneumodog), desparasitação interna e externa. Só aceitamos cadelas que estejam esterilizadas.

Horários: 9:00 - 19:00

Para mais informações contacte-nos: pelosanimais@gmail.com / 936304386

Também vamos a casa - Pet Sitting
Se não pretende deixar o seu animal de estinação num hotel, e prefere que ele fique em casa no seu ambiente, não se preocupe - Nós vamos a casa tratar dele.
Contacte-nos:
Email: pelosanimais@gmail.com
Telefones: 93 630 43 86 / 93 563 82 42



Visite-nos em:  http://www.peloseanimais.com/

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

LITERATURA | A Cria Negra de Felis Mal'Ak | VANESSA LOURENÇO

























SINOPSE

Uma aventura entabulada a quatro patas, numa escolha decisiva entre o medo e o amor. Esta é a história de um gatinho negro que,na companhia de outros felinos muito especiais, se prepara para travar a batalha que decidirá o futuro de todos os gatos no nosso planeta. 
E talvez até para lá dele. 

LITERATURA | O Meu Irmão Che | JUAN MARTIN GUEVARA | Editora Grupo PENGUIN RANDOM HOUSE


(Capa da edição alemã)

Quando a família soube da morte de Che Guevara pela imprensa resolveu guardar silêncio. Cinquenta anos depois, o seu irmão mais novo, Juan Martín, decidi partilhar as suas recordações e revelar quem era Che na intimidade. Fala-nos de Ernesto, aquele irmão mais velho e protector, cúmplice nos segredos e aventuras infantis. Das suas viagens, os estudos, os primeiros amores. Do aventureiro idealista, intelectual comprometido e do guerrilheiro em que se transformou. Dos meses que passou com ele em Havana, em 1959, retratando os primeiros momentos da revolução cubana. Através de recordações, episódios anedóticos e reflexões sobre a sua vida e a sua forma de pensar, Juan Martin Guevara resgata Che do mundo do mito, devolvendo-lhe um rosto mais humano de irmão, filho e pai. Numa biografia, que é também uma autobiografia, em que se cruzam as histórias de uma família com a história em maiúsculas dos acontecimentos de que Che Guevara foi protagonista, até à sua morte, a 9 de Outubro de 1967, em La Quebrada del Yuro, Bolívia. O objectivo de Juan Martín Guevara é o de fazer prevalecer os valores e os ideais do seu irmão e que continuem a ser fonte de inspirações para as novas e futuras gerações.

domingo, 17 de setembro de 2017

LITERATURA | A Cidade das Brumas | ANITA DOS SANTOS

























SINOPSE

É chegado o momento de ser cumprida a profecia que foi feita setenta anos antes do nascimento dos dois jovens por um druida vidente, que predizia que ambos seriam os guardiões e guias da Gente Pequenina. Mas foram feitas mais previsões das quais os dois jovens não têm ainda conhecimento.
Deles irá depender a continuidade da Cidade do Norte, da Cidade das Brumas, como sede da guilda dos druidas.
Tudo lhes é revelado nas cartas enviadas pelas Escolhidas, as suas progenitoras.
E enquanto o caminho para a Cidade das Brumas se revela pleno de surpresas, quer para os feéricos, quer para os humanos que os acompanham, o perigo faz-se sempre presente entre eles.
Na Cidade do Norte, a intriga, a traição vai minando por entre os elementos do Circulo dos Sete, o órgão máximo da Cidade dos druidas. E como tinha sido também previsto, a Cidade está em risco.
André e Vicente têm de chegar à Cidade das Brumas a tempo de prestar auxílio ao Circulo dos Sete.

Haverá mais surpresas e peripécias a aguardar os dois amigos?

LITERATURA | Dois Irmãos | MILTON HATOUM | Editora COMPANHIA DAS LETRAS

DoisIrmãos Kfrente 150dpi

Em Manaus, grande porto do rio Amazonas, vivem-se as décadas douradas da Febre da Borracha, no dealbar do século XX. Na casa da família de Halim a convulsão é de outra natureza.
Yaqub e Omar são gémeos idênticos, nascidos no seio de uma família de origem libanesa. Parecem-se muito, mas por dentro são diametralmente diferentes. Yaqub é silencioso e introspectivo, e passa o tempo com a cabeça enfiada nos livros. Por seu lado, Omar, o preferido da mãe, é de carácter alegre e impulsivo. Une-os – ou separa-os - a paixão pela mesma mulher e a disputa pelo amor dos pais.
Depois de uns anos a viver no Líbano, Yaqub regressa ao Brasil e instala-se numa vida de sucesso. Omar, pelo contrário, entra numa espiral de vícios, rancores, conflitos insolúveis e relações incestuosas.

Há ainda Nael, filho da empregada da casa. Também ele tem os seus fantasmas, e tenta, na busca pela identidade do pai, reconstruir o seu passado. É ele quem nos conta a história do lento declínio da família, numa casa que se desfaz, imersa no sufocante calor da Amazónia, num quotidiano minado pela paixão, a vingança e o incesto.

Da autoria de uma das vozes maiores da literatura brasileira contemporânea, Dois irmãos é uma tapeçaria de personagens inesquecíveis, um retrato vibrante de uma cidade e de um país em mudança, uma reflexão sobre o futuro que é possível construir a partir das ruínas.



sábado, 16 de setembro de 2017

LITERATURA | O Bosque dos Murmúrios | ANITA DOS SANTOS

























SINOPSE

“E assim os dias foram-se escoando para o André, até aquela bendita noite em que já se lhe tinham acabado as últimas nozes que tinha encontrado, dos víveres que tinha trazido, já nada restava, e até as pederneiras para fazer a fogueira desapareceram sem ele saber como nem porquê… e agora ali estava ele, noite serrada, enrolado no cobertor com as costas encostadas ao tronco de uma árvore, a barriga aos roncos e a tiritar de frio.
Uma lástima!
E nem um miserável vislumbre do que quer que se assemelhasse a um feérico… Era mesmo falta de sorte…” 

André e Vicente são dois jovens amigos que se propõem ir em auxílio da povoação onde estão a morar.
Não estão lá há muito tempo, mas já são queridos por todos.
Por todos?
Quando o verde começa a desaparecer são os primeiros a procurar encontrar o Senhor dos Bosques, personagem das histórias que os antigos contavam à lareira, e que habita no Bosque dos Murmúrios.
Só ele detém o poder de derrotar o Senhor das Trevas e recuperar o verde.