segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

[Actualidade-Palmela] Palmelense inaugura relvado sintético dando forma à emoção

O dia 12 de Dezembro de 2015 ficará a constar da história do Futebol Clube Palmelense, que, numa cerimónia bastante emotiva, inaugurou o seu relvado sintéctico perante a presença de diversas individualidades locais, dirigentes, associados, adeptos e amigos do clube.

João Paulo, Presidente da Direcção do Futebol Clube Palmelense destacou a importância deste melhoramento no Campo Atlético Cornélio Palma, em duas vertentes, primeiro corresponde à concretização de um sonho antigo da Vila de Palmela e do Palmelense, a segunda razão de carácter mais estrutural e mais duradouro que é permitir a prática desportiva aos mais jovens, aos menos jovens, e fundamentalmente ter uma estrutura que permita que os jovens do clube, com idades compreendidas entre os 4 e os 20 e 25 anos possam praticar desporto.

O presidente da direcção do Palmelense Futebol Clube confirmou a relevância desta estrutura, referindo que se encontra a residir em Palmela há cerca de vinte anos, e que quando ali chegou já se falava na necessidade de um relvado sintético para o complexo desportivo do clube local, o que só agora aconteceu, fruto não só dos apoios que a Câmara Municipal de Palmela quis dar, mas também do muito trabalho desta direcção, que lutou e que se empenhou neste projecto, tendo sido uma negociação difícil, quer com a Câmara Municipal, quer ainda com os próprios empreiteiros, para conseguir chegar a um valor exequível para a obra.

Foi um acontecimento também, nitidamente, pautado por um clima de grande emoção, aliás, e segundo frisou o Presidente do Clube: “Não foi à toa que se escolheu como slogan para a celebração a frase :”Venha celebrar a emoção”, pois para as pessoas de alguma idade aqui da terra era algo muito desejado. Os adeptos têm revelado, grosso modo, uma grande satisfação, o sentimento geral é muito positivo. “

Questionado sobre outros melhoramentos a realizar, João Paulo frisou: “Precisamos de balneários, de termo-acumuladores, agora é uma questão de juntar esforços.”
Em termos de novos projectos para o clube, João Paulo teve oportunidade de referir  o seguinte:” Se a direcção actual se mantiver avançaremos com certeza com mais três projectos: um Junto da Federação Portuguesa de Futebol, junto da Comissão de Coordenação Regional de Lisboa e Vale do Tejo e outro junto da ADREPES, havendo aprovação, havendo disponibilidade de verbas, havendo a nossa vontade, eles serão, de facto, concretizados, assim tudo corra bem.”

Houve também oportunidade para colocar algumas questões ao Presidente da Câmara Municipal de Palmela, Dr. Álvaro Amaro. Questionado acerca da importância desta infra-estrutura para o Concelho e Vila de Palmela, o Presidente da Câmara referiu: “É um equipamento requalificado, e a importância para o Município reside na importância que as infra-estruturas desportivas têm, as de qualidade, para a promoção, o desenvolvimento e a formação desportiva, em particular, dos nossos jovens. De facto, o Palmelense é uma instituição com quase cem anos e neste mítico campo do Atlético Cornélio Palma já se viveram aqui momentos desportivos muito importantes em tempos áureos, mas, de facto, os clubes hoje têm que obter apoio para requalificar as suas instalações se quiserem almejar dar outros passos, porque hoje há outras ofertas, e os jovens tendo hoje aqui um equipamento com esta qualidade, certamente vai aumentar o número de praticantes, certamente vai aumentar também a qualidade desportiva, e este é um passo importante para um clube que está na sede do Concelho e que tinha as suas infra-estruturas em menos bom estado. O Município, desde a primeira hora, também optou por ser um parceiro estratégico, aliás, fundamental. Tenho ouvido algumas declarações do Senhor Presidente do Palmelense relativamente ao custo do investimento, mas é fácil fazer as contas, com um investimento do Município na ordem dos cento e trinta mil euros, estamos quase nos 90% do investimento, mas entendemos fazê-lo porque é um investimento também de natureza pública, porque a formação do desporto, como eu disse na minha comunicação, são também factores de desenvolvimento social, económico e pessoal. Portanto, a formação que aqui é feita e a ocupação de tempos livres dos jovens é um serviço público e considero então que as entidades públicas devem apoiar. Na ausência e no distanciamento doutras, como o Instituto do Desporto ou de Programas Comunitários da região de Lisboa, que não apoiaram infra-estruturas desta natureza, as autarquias, no seu poder de proximidade disseram presente e foram fundamentais para que este sonho acontecesse, mas quero também sublinhar que, apesar de proporcionalmente, em termos financeiros, aquilo que coube ao Palmelense arranjar, possa não ter parecido significativo, há um outro capital, o capital humano, que foi fundamental. Este projecto foi mobilizador, eu vi com muito interesse e admiração o entusiasmo que se criou, isto contribuiu para reaproximar os sócios do Palmelense, mais gente aqui a trabalhar voluntariamente, houve empresas que apoiaram, houve particulares que apoiaram, que aqui trabalharam, a direcção trabalhou também imenso para este projecto e, quando assim é, quando há esta cooperação os sonhos realizam-se e a obra acontece e, portanto, está lançada a primeira grande obra para a requalificação deste complexo desportivo há outros sonhos, e nesses sonhos garanto-lhe que o Município fará sempre parte da solução.”
Após a cerimónia solene, com comunicações das individualidades presentes, e com o descerramento da placa alusiva ao novo relvado, por parte do Presidente da Direcção e do Presidente do Município de Palmela, as festividades prosseguiram com exibições das classes de ginástica do Clube, e com prova do Moscatel típico desta região.

Texto: Isabel de Almeida/Miguel Garcia (Com Diário do Distrito)
Foto: Isabel de Almeida

Sem comentários:

Publicar um comentário