sábado, 27 de janeiro de 2018

PORTUGAL MAIS QUE SOL | Villa Romana de Torre de Palma | PAULO DA COSTA GONÇALVES



Convidamos-vos a conhecer: A VILLA ROMANA DE TORRE DE PALMA

Apesar de Zeus e Baco se confundirem sob o sol do nosso país Portugal é mais que sol não sendo necessário ser um "homo muito sapiens", para conhecer os nossos ancestrais mais distantes cujos monumentos megalíticos, as pinturas, as “Villas”, os teatros, os fóruns, as termas e os mosaicos, testemunham ainda grandezas desaparecidas neste cantinho ibérico.
Através de testemunhos únicos na Europa e praticamente desconhecidas de todos esperamos que este nosso contributo venha a despertar o vosso interesse por um encontro com a história, através do património paisagístico, arquitetónico e museológico, assim como do enológico e gastronómico, contribuindo para o combate à desertificação e aos constrangimentos de algumas zonas rurais.
  
Integrada nos “Itinerários Arqueológicos do Alentejo e Algarve” a vasta “vila” de Torre de Palma, classificada como Monumento Nacional, fica situada a 5 km de Monforte (junto à EN 369 que liga a aldeia de Vaiamonte a Monforte no distrito de Portalegre).

Desenvolvendo-se sobre uma colina, junto de um pequeno riacho, em torno de um vasto pátio interior, denominada “vila” em peristilo, é um espaço organizado cuja propriedade foi atribuída a uma poderosa família romana, os BASÍLII, cujo nome é conhecido através de uma inscrição encontrada no local, mandaram construir uma grandiosa residência, e aí se estabeleceram talvez desde o Séc. II até ao Séc. IV d.C. explorando um vasto latifúndio, que incluía lagares, celeiros e outras dependências agrícolas, sempre rodeados de servos sendo também local de recolhimento e de lazer do proprietário.
A Norte da “vila” encontraram-se as ruínas de uma Basílica Paleocristã, construída sobre um templo romano e objeto de várias reestruturações entre finais do século IV e o século VII, com três naves, e absides contrapostas, a qual tem um batistério em forma de cruz de Lorena, com dois lanços opostos de quatro degraus, do qual até há pouco tempo só se encontravam paralelos na Palestina e no Norte de África, que documenta o esforço e a consolidação do Cristianismo nesta região, tendo a sua importância perdurado até à Idade Média, com o reaproveitamento de partes das paredes da antiga basílica para edificação da capela de São Domingos.
Inicialmente escavada entre 1947 e 1962, o estudo da “vila” romana de Torre de Palma foi particularmente privilegiado devido aos seus mosaicos profusamente decorados e que se pensa serem dos finais do século III ou inícios do século IV d.C. De entre estes, não podemos deixar de mencionar os mosaicos dos cavalos vitoriosos e o das Musas, realizados por uma “oficina” itinerante africana.

Acolhimento de Visitantes:

·         Centro de Acolhimento e Interpretação onde se disponibiliza informação sobre o sítio arqueológico;
·         Loja, publicações de apoio aos visitantes, materiais de divulgação;
·         Percurso de visita sinalizado;
·         Estacionamento para ligeiros e autocarros;
·         Visitantes com mobilidade reduzida: certos troços do percurso de visita podem apresentar algumas dificuldades.

Horário:

Inverno - Outubro a Abril
Segunda a Sábado – 09h00 / 16h00
Domingo – 09h00 / 13h00
Verão - Maio a Setembro
Segunda a Sábado – 10h00 / 13h00 - 15h30 / 19h00
Domingo – 09h00 / 13h00
Encerramento ao público
1 de Janeiro
Feriado Municipal - Segunda Feira de Pascoela
24 . 25 . 31 de Dezembro


Fotos: Paulo Da Costa Gonçalves

Sem comentários:

Publicar um comentário