quinta-feira, 13 de fevereiro de 2020

CRÍTICA LITERÁRIA / UMA VOZ PERDIDA NA GUERRA, de Cesca Major / TopSelLer

Uma Voz Perdida na Guerra

“Uma comovente história de amor, perda e inocência roubada, inspirada num episódio verídico da Segunda Guerra Mundial.”

A história é descrita em dois anos distintos, em 1952, com Adeline que se refugiou num convento após a derrota alemã na Segunda Guerra Mundial. Porém, desde que o fez que não fala. As freiras não entendem o seu silêncio, mas Adeline esconde um segredo. Enquanto se apercebe do mundo à sua volta, a sua mente é permanentemente transportada para o inicio da guerra, para a pequena loja que com a sua família gere tranquilamente em Oradour, do dia em que o filho se alistou, na filha, na relação dos dois, no que aconteceu a seguir até à forma como foi encontrada quando fugiu.
Ao mesmo tempo, somos transportados para o ano de 1940, conhecemos Sebastian, um banqueiro judeu que vive na cidade francesa de Limoges e que se apaixona por Isabelle, a filha de Adeline, a descrição do seu primeiro encontro descrito pelas palavras dela numa carta que escreve ao irmão que se encontra no campo de batalha e que nunca chega a enviar. A paixão entre ambos será intensa e mudará o curso das suas vidas.
Conhecemos, Tristan de 9 anos que se muda para Oradour e para a tranquilidade de uma aldeia rural numa zona não ocupada com a família, depois de ter vivido durante a ocupação nazi de Paris.
À medida que a guerra avança, os seus destinos irão cruzar-se até um acontecimento terrível abalar a aldeia...
Este livro é uma descrição real das consequências que a guerra tem sobre o destino das pessoas e uma prova cabal de que nunca nos devemos esquecer que quando pensamos estar em segurança, afastados de perigos, estes podem estar mais perto do que desejamos. O segredo de Adeline consegue manter-nos agarrados até à última página.  

Por: MBarreto Condado

Sem comentários:

Publicar um comentário