sexta-feira, 12 de outubro de 2018

LITERATURA | Amadeo de Souza-Cardoso de Eduardo Viana e Jorge Pinto | DESASSOSSEGO

Centenário da morte de Amadeu Souza-Cardoso


Amadeo de Souza-Cardoso, o segredo mais bem guardado da arte moderna.

Amadeo.jpgAssim pode ser considerado o pintor português, nascido em Manhufe, Amarante, e participante ativo no movimento da vanguarda modernista parisiense. Permanentemente inconformado e dividido entre o provincianismo de Manhufe e o cosmopolitismo de Paris, Amadeo viveu de forma furiosa e em procura constante: de si mesmo e de novas formas de expressão artística. Recusando aderir a qualquer escola, Amadeo rompeu convenções e esteve ao lado de grandes nomes da pintura mundial, de Modigliani, seu grande amigo e parceiro, a Brancusi, passando pelo casal Delaunay. E, apesar disso, o seu nome quase caiu no esquecimento; mas está finalmente a recuperar 
o lugar que é seu por direito.

“Enquanto artista, Amadeo é um caso exemplar da compreensão do local e do cosmopolita, ainda mais na forma como ele consegue, sozinho, realizar o destino moderno do meio cultural ancestral da sua pátria.”Helena de Freitas, curadora da exposição Amadeo de Souza-Cardoso, Grand Palais, Paris.



Desenho
Eduardo Viana nasceu em Oeiras em 1983. É arquiteto de formação, doutorando em Urbanismo e um dos fundadores do partido LIVRE, integrando a sua direção executiva. Autor de ilustrações e cartoons políticos, aventura-se pela primeira vez na banda desenhada com Amadeo, juntando o sonho de desenhar uma história aos quadrados com o gosto pela obra do pintor

Texto
Jorge Pinto nasceu em Amarante em 1987. Engenheiro e atualmente doutorando em Filosofia Política e Social, foi um dos fundadores do partido LIVRE, integrando atualmente a sua direção executiva. É autor de contos, pequenas histórias e teatro. Em março de 2017 venceu uma menção honrosa no concurso Novos Textos, organizado pelo Inatel e Teatro da Trindade, com a peça Uma História Trágico-Marítima. Com Amadeo estreia-se na escrita de argumentos para banda desenhada.


Sem comentários:

Publicar um comentário