sábado, 2 de dezembro de 2017

OPINIÃO | Os Deuses Somos Nós | ANA KANDSMAR

Primeiro a Esquerda apartou-se da religião e ensinou que a mesma é uma abstracção inútil, depois apoiou todo o tipo de liberdades individuais e criou uma amálgama de retrocessos levando a humanidade a um estado quase primitivo. O sexo está em tudo e faz parte de tudo, tornou-se de tal forma banal e desinteressante que homens e mulheres são hoje descartáveis. LGBT, Ideologia de género, aborto, eutanásia, e mais umas quantas distorções do que é ou devia ser a evolução da humanidade, não só são bem aceites pelas comunidades como são ensinadas nas escolas. A Arte deixou de ser Arte. A Arte perdeu para os lobbys e pseudo-artistas que têm a mesma noção de estética e respeito pela verdadeira arte que têm pelo próprio corpo. Nesta febre de aceitar tudo, de legitimar tudo, de apoiar e democratizar tudo, a Esquerda tornou o mundo feio e irrespirável. O grande estandarte da Esquerda "Não há nenhum Deus a ver", roubou-nos a vergonha, a noção de limites e atirou-nos para um abismo do qual será agora dificílimo sair. Por fim, o multiculturalismo na sua pior versão, aquele em que nos ensinaram a acreditar, aquele que rouba aos povos as suas raízes, o sentimento de pertença, a âncora de que necessitamos para não nos perdermos em mar alto, o porto seguro da pátria, da cultura, da língua, dá o golpe de misericórdia na nossa já tão fragilizada coesão. Esqueceu-se a Esquerda de que somos e nunca deixaremos de ser tribais. Está nos nossos genes essa necessidade de grupo, de diferença perante os demais. Não para sermos melhores, que a história bem nos ensinou que não é esse o caminho, mas para sermos únicos, para sermos nós. O que nos trouxe esse multiculturalismo que rebenta fronteiras e nos faz estranhos na nossa própria casa não é, como podemos ver, ainda que nenhum Deus o veja, um intercâmbio salutar de culturas, de costumes ou de aprendizagens. É antes uma pilhagem violenta da essência dos povos, uma lavagem cerebral que começa nas nossas crianças e por fim, o massacre de tudo quanto somos e almejámos um dia ser. Enchermo-nos de tudo deixou-nos tão vazios e divididos que, qualquer ideologia ou religião cabe no espaço imenso que temos entre nós. E a isso só pode ser dado um nome. Declínio. Segundo a Bíblia, Jesus terá dito:


"Vós sois deuses", por isso, quanto mais não seja por isso, Deus está a ver. Os Deuses somos nós.











Ana Kandsmar

Sem comentários:

Publicar um comentário