terça-feira, 9 de junho de 2020

DIVULGAÇÃO LITERÁRIA | A RAPARIGA NOVA, de Daniel Silva - HARPER COLLINS PORTUGAL





















Tão apaixonante como sempre. Allon é uma personagem cheia de engenho (…) Um admirável yin yang de destruição e (re)criação.
- Financial Times

Às vezes, um bom romance explica a época em que vivemos — as quezílias e as intrigas políticas, os enganos e as tragédias globais — tão bem ou melhor do que o jornalismo. A Rapariga Nova, de Daniel Silva, é esse tipo de romance. Esclarecedor e de leitura deliciosa.
- Bob Woodward (jornalista que revelou o caso Watergate)



Ia tapada da cabeça aos pés com dispendiosos tecidos de lã e de xadrez, como os que se viam na loja Burberry do Harrods. Trazia uma pasta de pele em vez de uma mochila de nylon e sabrinas de verniz reluzentes. A menina nova era muito educada e modesta. Mas não era só isso…

Este é um thriller em que o engano, a traição e a vingança andam de mãos dadas.



Num elitista colégio particular suíço, o mistério rodeia a identidade de uma menina de cabelo preto que chega todas as manhãs acompanhada por uma escolta digna de um chefe de Estado. Dizem ser filha de um empresário muito rico. Na verdade, o seu pai é Jalid bin Mohamed, o difamado príncipe herdeiro da Arábia Saudita. Antes aclamado pela sua promessa de empreender reformas religiosas e sociais, agora Jalid é alvo de duras críticas por parte da comunidade internacional devido à sua implicação no assassinato de um jornalista dissidente. E, quando a sua única filha é sequestrada,  Jalid recorre ao único homem capaz de a encontrar antes que seja tarde demais.
O que está feito, não pode ser desfeito…
Gabriel Allon, o lendário chefe dos serviços secretos israelitas, tem passado grande parte da sua vida a perseguir terroristas. Entre eles, inúmeros jihadistas financiados pela Arábia Saudita. O príncipe Jalid, ou JBM, como é conhecido, comprometeu-se por fim a quebrar o vínculo estreito entre o seu reino e o Islamismo radical. Só por esse motivo, Gabriel já o considera um colaborador valioso, muito embora não se fie dele. Juntos vão arquitetar uma aliança precária numa guerra secreta pelo controlo do Médio Oriente. A vida de uma menina e o trono da Arábia Saudita estão em jogo. Tanto Allon como Jalid têm numerosos inimigos. E muito a perder.




















Com muito humor negro, reviravoltas e personagens apaixonantes, A Rapariga Nova é, ao mesmo tempo, uma ficção absorvente e um sofisticado estudo sobre as alianças políticas e as rivalidades das grandes potências num mundo cheio de perigos.
Mais uma prova de que Gabriel Allon é um dos grandes espiões da literatura e Daniel Silva simplesmente o melhor escritor de intriga internacional e suspense da atualidade. Os seus romances dão-nos sempre mais. São imprescindíveis.

Sem comentários:

Publicar um comentário