domingo, 7 de junho de 2020

CRÓNICA | O VALOR DA PALAVRA, de Maria Cecília Garcia


Texto: Maria Cecília Garcia
Foto da Autora: D.R.

Para quem como eu, que já viveu algumas décadas, e se dá ao trabalho de observar as mudanças que vão acontecendo, gostaria de dar a minha opinião, ou melhor, a minha percepção sobre alguns factos que passam despercebidos.
Hoje vou falar das palavras em desuso, ou melhor, palavras fora de moda, quase nunca pronunciadas ou escritas, que, a meu ver, são a causa de alguns dos grandes problemas que enfrentamos nos dias de hoje. Todos sabemos que a palavra é importante, mas raramente damos importância à palavra em si.
Parece-me que, se uma palavra desaparece, deixa de ser pronunciada, também existem gestos ou acções que deixam de acontecer. Uma palavra existe para definir ou classificar uma acção.
Tomemos como exemplo a palavra-Honestidade- Qual é o significado da palavra? Numa explicação sumária, honestidade é a qualidade daquele que é honesto, honrado. Honrado é ter sentimento de dignidade, amor-próprio, decoro, pudor, franqueza e boa fé. Há muitas definições para esta palavra, mas apenas com estas, podemos entender a importância da mesma.
Ora bem, como se comporta um indivíduo honesto? Um individuo honesto seria incapaz de roubar ou enganar propositadamente alguém para obter benefícios para si próprio.
Façamos o jogo ao contrário. O que significa ser desonesto? Ser desonesto é não ter sentimento de honradez, amor-próprio, é ser indecoroso e despudorado em relação a si mesmo e aos que o rodeiam. É não dar importância à sua própria dignidade, actuar de má fé.
Se estivéssemos preocupados em ser pessoas honestas e com amor-próprio suficiente para actuar de boa fé, seguramente muito melhor andaria o mundo. Haveria menos corrupção, menos mentira e muita mais confiança entre as pessoas.
Os mais antigos davam valor à sua palavra, uma promessa, um compromisso, nem precisavam de assinatura porque as pessoas prezavam a sua dignidade. Era vergonhoso ser classificado como alguém que não respeita a palavra dada, ou se tivesse valido de mentiras e falsidade para obter algo em seu proveito, ou até, prejudicar os outros
 A lealdade- Onde ouviu essa palavra pela última vez? Não me refiro ao que se lê nos livros, refiro-me ao dia a dia, nas conversas banais, poucas vezes é pronunciada. E a Lealdade é também fidelidade, sinceridade, dedicação, coleguismo. No fundo lealdade e honestidade são irmãs e se complementam.
Apenas duas palavras que bem usadas e entendidas fariam mudar o mundo. Assim de simples.
Em contrapartida há uma abundância de palavras, cada dia mais usadas que, mesmo sendo correctas e com valor gramatical, são banalizadas ao ponto em que já não sabemos o seu verdadeiro significado.
A palavra Amor, é usada até à exaustão, é pronunciada com ligeireza. O que é o amor? O amor contém em si tudo o que há de melhor no ser humano. O amor é generosidade, desprendimento, sacrifício, entrega, ternura...  mas também é lealdade e honestidade.   Será que quando pronunciamos a palavra amor, sentimos tudo isso?
 Palavras há muitas, mas apenas estas, fariam mudar o mundo.

Sem comentários:

Publicar um comentário