quarta-feira, 29 de novembro de 2017

LITERATURA | A Guardiã, O Livro de Jade do Céu | ANA KANDSMAR


Sinopse:

E se tudo o que conheces sobre as origens da Terra estiver errado? E se te pudesses lembrar de todas as vidas que já viveste? E se descobrisses que a reencarnação não é apenas uma fantasia? Entre a vila medieval de Óbidos, a terra vermelha de Petra e as brumas da ilha mítica de Avalon, Luana, uma arqueóloga céptica e pouco dada a crenças religiosas ou espirituais, confronta-se com o destino: Descobrir o seu potencial divino e salvar a humanidade. Enquanto se envolve numa disputa entre as forças da Luz e das Trevas pelo domínio da Terra, Luana divide-se entre o amor de dois arcanjos. Um triângulo amoroso que a arrebata, transforma e leva numa exaustiva viagem pelo mundo, em busca das míticas páginas de um livro sagrado. Nele, estão contidos os segredos das origens da humanidade e o seu propósito.

Uma obra de ficção repleta de aventura, romance e suspense que une a história, a religião e a ciência.

Um livro que nos leva a conhecer o trabalho de Zecharia Sitchin, linguista cuneiforme que desvendou os segredos das placas de argila da Suméria. Um livro que faz a ponte entre a Física Quântica, a Teoria das Cordas e dos Multiversos e a fé em Deus. Um livro que conta uma história de almas que se encontram vida após vida e que vencem finalmente a barreira do esquecimento. Um livro que nos mostra que o Amor é uma energia que nunca acaba com a morte do corpo. Quem somos nós, afinal? Simplesmente humanos que obedecem à teoria da evolução de Darwin ou criaturas que, vindas de outros lugares longínquos dos multiversos, colonizaram a Terra?

O ponto de partida, esse, é num tempo tão remoto, que nada do que hoje conhecemos existia ainda e o planeta se aventurava pela primeira vez na imensidão do cosmos.

“A ideia de que Deus é um gigante barbudo de pele branca sentado no céu é ridícula. Mas se, com esse conceito, você se referir a um conjunto de leis físicas que regem o Universo, então claramente existe um Deus.” Carl Sagan.

Sem comentários:

Publicar um comentário