quinta-feira, 15 de março de 2018

CRÓNICA | Vamos Falar de Assédio | PATRÍCIA REBELO




Se existe algo que me choca nesta sociedade é o assédio despudorado, absurdo e surreal que existe em relação às mulheres.

A forma como as mulheres são “abordadas” de forma indirecta, ou seja, pelos olhares, é vergonhosa.

A forma como alguns homens olham, torna-se nojenta e irresponsável, chegando a ser completamente desrespeitosa pela mulher que ele encara.

Quem lhe deu poder para olhar assim?

Quem lhe deu autorização para tal?

Porque é que se sente tão à vontade e tão confiante para olhar de uma forma tão vergonhosa para uma mulher?

Há vários anos que questiono e debato este assunto, porém noutro dia senti isso, de forma notória.

Muitos podem dizer: “Ah, mas ia com uma mini saia ...”

Não. Não ia. Ia de calças.

“Ah, mas deviam ser calças reveladoras...”

Calças reveladoras? O que é isso? Não... era apenas e só calças simples...

“Ah, então era porque tinha um grande decote...”

Também não.

Levava um top e uma camisola de manga comprida e sem decote por cima...

Ou seja, no meu conjunto nada me parecia existir para tal absurdo.

Ah, para acrescentar ... levava ténis.

É demasiado chocante, o olhar depravado de homens para a zona do peito, do rabo ou das pernas.

É demasiado desrespeitoso como é que alguém se acha no direito supremo de olhar para alguém, desse modo...

Eu senti-me desrespeitada.

Completamente desrespeitada e ofendida.

Considero sim que é assédio, e pior, considero que se fala muito pouco sobre isso.

É assédio e por algum motivo que me é desconhecido, muitas mulheres começam a achar esse comportamento normal.

Sim, eu sou a favor de que cada pessoa se deve vestir como quer e de como se sente bem.

Se pretendem ou não provocar determinados olhares, estão no seu direito.

É lógico.

Se se sentem bem e se lhes dá autoestima, força.

Mas, acredito que nem todas as mulheres que se vestem assim, procuram directamente isso...

Se assim fosse... que podemos dizer das camadas cada vez mais jovens, que vestem cada vez mais saias e calções de tamanhos mais curtos e decotes maiores...?

Não é.

Vestem-se assim, por estilo, moda, o que se queira chamar e porque os pais também acham normal (será pano para mangas numa outra crónica).

Mas pronto, em relação a roupas provocantes, muitas opiniões se escutam...

Agora imaginem, que se vestem de forma totalmente normal, sem qualquer roupa que chame a atenção... e SEM QUALQUER INTENÇÃO de chamar a atenção...

Questiono-me se se for a mulher daquele homem, a filha, a mãe, a sobrinha, a neta... se também aceita que outros a olhem assim...

Acredito bem que não. Aí aparece aquela celebre frase, sabem?

“Não, com filha minha nunca. Com neta minha apanhava logo...”

Pois... então pensem antes de olhares nojentos e depravados... Aquela mulher que olham também é filha, neta, mãe, etc...

Se não gostam se é da família deles, porque sujeitam as outras?

Porque é que são sujeitas a olhares?

Porque é que qualquer mulher tem de ser sujeita a esses olhares?

Considero que a liberdade de cada pessoa termina onde começa a do outro, e considero triste e imoral a forma como se desrespeita, só porque sim, alguém.

É raro falar-se deste tipo de assédio.

Mas existe.

É grave!

Muitos até o consideram normal.

Mas é errado... e isso deve ser dito.



Sem comentários:

Publicar um comentário