quarta-feira, 16 de maio de 2018

LITERATURA | O Rapaz Selvagem de Paolo Cognetti | DOM QUIXOTE - Tradução de Mário Severo

Nas livrarias desde 15 de Maio


Um verão em que se sente perdido e sem forças, o protagonista deste «caderno de montanha» decide abandonar a cidade onde nasceu, e instala-se a dois mil metros de altitude, num local próximo daquele em que passava as férias com os pais quando era criança. Procura um lugar que lhe permita ser feliz e, como acumula recordações de muitas semanas de liberdade que corriam sem regras e sem quem as ditasse, sonha com recuperar as experiências da infância.

Mas agora está sozinho. E nessa solidão, na qual porém surgem presenças imprevistas, como os animais que povoam a montanha e também dois vizinhos com quem trava relações, deverá ajustar contas consigo mesmo. O rapaz ocupa o seu tempo a ler e, nos livros de Rigorni Stern, Primo Levi, Thoreau e Antonia Pozzi, encontra com quem conversar. Mas a literatura não se converte num refúgio contra a natureza hostil nem num antídoto contra os excessos da civilização, apenas num impulso para desenvolver um ponto de vista pessoal, nada ingénuo nem complacente.

Sem comentários:

Publicar um comentário