quinta-feira, 24 de agosto de 2017

ANIMAIS | MAÇARICO DE BICO DIREITO

Limosa limosa 3 (Marek Szczepanek).jpg
Trata-se de uma ave migradora, estando presente em Portugal sobretudo no Inverno. Nas últimas décadas esta espécie sofreu um acentuado declínio populacional, estando actualmente na lista vermelha da IUCN.

O maçarico-de-bico-direito é uma ave limícola de aspecto elegante e gracioso. Com 35 a 45 cm de comprimento, uma envergadura de cerca de 75 cm e 160 a 440g de peso, trata-se de uma limícola de porte médio/grande.

As patas altas e o bico longo (em alguns casos ultrapassando os 12 cm de comprimento), ligeiramente curvado para cima são duas das características mais distintivas desta espécie. Outra característica distintiva, é a coloração negra da parte terminal da cauda, antecedida por uma barra branca muito conspícua na região do uropígio.

A coloração varia entre uma plumagem de Inverno com as costas cinzentas e a barriga branca e uma plumagem nupcial rica em tons alaranjados, ocres e vermelhos e barras pretas ao longo da parte anterior do pescoço e barriga. Os machos são mais pequenos que as fêmeas, tendo também geralmente uma coloração mais intensa que estas.

Os maçaricos-de-bico-direito, tal como muitas outras aves limícolas fazem grandes migrações, de milhares de quilómetros, entre as áreas de reprodução e as áreas de invernada.

A população islandesa tem vindo a aumentar nas últimas décadas, pensando-se que está actualmente numa fase de estabilização. Este aumento populacional deve-se possivelmente ao desenvolvimento agrícola na Islândia que originou mais habitats favoráveis para a reprodução destas aves. Por outro lado, o aquecimento global e a consequente amenização do clima islandês poderá ter sido benéfico para o maçarico-de-bico-direito.

O adiantar das datas de ceifa levou a que a maioria dos campos sejam ceifados ainda durante a época de reprodução, levando à destruição de grande parte dos ninhos. Por outro lado, a proliferação das monoculturas e o regime de pastagem e ceifa alterou o habitat, tornando os insectos, de que as crias jovens dependem para sua alimentação, cada vez menos abundantes. Finalmente, a alteração da paisagem pelo Homem teve efeitos benéficos para muitos predadores, como as gaivotas, as gralhas e as raposas, assim como os cães e gatos domésticos, levando a um grande aumento da taxa de predação de crias não voadoras, que hoje têm taxas de sobrevivência tão baixas que são insuficientes para a sustentabilidade desta população.

Estas aves formam bandos enormes. Podem ver-se mais de 30 mil maçaricos de bico direito num só bando.

Fonte: Wikipedia e Jardim Zoológico de Lisboa

Questão: Quantos quilómetros consegue esta ave voar sem parar?

Sem comentários:

Publicar um comentário