segunda-feira, 18 de novembro de 2019

BEIJA-ME EM SILÊNCIO, de Ana Ribeiro















Beija-me em silêncio
Como da primeira vez
Naquele nosso encontro fugaz
Beija-me em silêncio
Outra vez
Agora
Não digas nada
Faz…

No sítio de sempre
Retratado na pintura
Do nosso quarto
Onde havia terra
E mar à mistura

Onde fomos muito mais
Do que apenas dois seres pintados
Á mão
Fomos vida
Fomos chão

Onde foste aquele amanhecer
Quase perfeito
E onde o meu coração
Ficou sem jeito

Onde vi o brilho do Sol no teu sorriso
Onde senti a terra húmida e fresca
Dos teus braços
Em mim
E o balançar das árvores
No teu corpo contra o meu
Precisava de ti!
E nada se perdeu…

Onde ouvi o som do vento
 Na tua voz
O agitar das ondas do mar
Nos teus olhos
Na tua felicidade
No ar
Vivi cada momento!

Procurei-te
Nos contornos da natureza
Na sombra do que há em nós
Encontrei-te
Ficamos sós
E descobri a pureza
Da paixão
E do que sentimos
Vivo a partir de ti!

Contigo
Ao meu lado
É amar
Noite e dia
Mesmo ao luar…

Naquele lugar
Paraíso do nosso ser
Que tudo acalma
Onde me quero voltar
A perder
Contigo
Onde deixamos a nossa alma

Beija-me em silêncio
Como da primeira vez
Mas agora…

… para sempre!

Sem comentários:

Publicar um comentário