terça-feira, 27 de fevereiro de 2018

PORTUGAL MAIS QUE SOL | Convidamos-vos a conhecer: A CIDADE ROMANA DE AMMAIA – A Atlântida do Alentejo | PAULO DA COSTA GONÇALVES


Texto e Fotos : Paulo Da Costa Gonçalves
Direitos Reservados

Atestando a sua grandeza patrimonial as ruinas da Cidade Romana de Ammaia situam-se na freguesia de São Salvador da Aramenha, bem próximas das convidativas vila de Marvão e cidade de Castelo de Vide, em pleno coração do Parque Natural da Serra de S. Mamede no distrito de Portalegre. 
Proporcionando-nos um grandioso encontro com a História, Ammaia é uma pérola histórica escondida no meio do Alentejo e motivo privilegiado de visita.
Com o estatuto de "Civitas" atribuído por Cláudio (41 dc - 54 d.c), o 4º imperador da dinastia júlio-claudiana e sucessor do extravagante e cruel Calígula, a cidade de Ammaia terá sido fundada nos finais do século I a.C., durante a governação de Augusto, fundador do Império Romano e o seu primeiro imperador. A sua localização, os recursos minerais e naturais da região, tais como o quartzo e o ouro, proporcionaram à cidade desenvolver-se como um importante núcleo urbano do império e ponto de cruzamento de vias romanas ligada à capital da província, "Emerita Augusta" (atual Mérida/Espanha).

Tendo sobrevivido à Queda do Império Romano, apenas entre os séculos V e IX e quando a zona estava já sob o domínio árabe, terá entrado em declínio e sido despovoada.
Uma das principais curiosidades destas ruínas é que, durante séculos, pensou-se que a cidade teria tido a sua existência onde se viria a desenvolver a actual cidade alentejana de Portalegre. Por um lado, porque nos séculos V e IX terão sido vítimas de um cataclismo que as terá soterrado. Por outro lado, é reconhecido que muita da pedra aparelhada com que foram construídos palácios e igrejas em Portalegre foram oriundas das suas ruinas, sobretudo a partir do século XVI. O mesmo aconteceu para a construção das muralhas de Marvão e de Castelo de Vide e aos poucos e poucos apenas foram ficando, acima do solo, alguns muros construídos com pedra miúda e fragmentos de tijolos e telhas que não tinham interesse para as novas construções na região.

No entanto, esses e outros factores naturais, fizeram com a Ammaia seja uma das poucas cidades do império romano que ficou conservada e, contrariamente ao que aconteceu em muitos outros locais ao longo da história, sobre a qual não foi desenvolvida qualquer outra cidade.

Soterrada a uma profundidade de pouco mais de 80 cm um arado mais fundo, de tempos a tempos, ia levantando e trazendo até à superfície alguns restos da desaparecida Ammaia e na tradição popular nasceu a lenda de que a velha cidade da Aramenha teria sido engolida pela terra durante um grande terramoto. 

Sem comentários:

Publicar um comentário