terça-feira, 15 de outubro de 2019

O MEDO DE TE PERDER, de Ana Ribeiro
















Todos os dias acordo com medo de te perder, de ficar sem ti. Um medo louco, cego, desconfortável, que parece que se apodera de mim e que me asfixia cá dentro. Medo que o meu mundo acabe por, de um momento para o outro, já não te ter aqui, junto a mim. O teu corpo, os teus olhos, a tua boca, as tuas mãos, os teus beijos pousados em mim. Simplesmente tu. Olho para ti deitado ao meu lado naquele sofá velho, a cheirar a mofo, o nosso abrigo e não me imagino a viver sem ti. Tu imaginas-te a viver sem mim? Sabias que és parte de mim?

Os dias. Aqueles nossos longos dias sem tempo. Sem horas. Sem nada. Só eu e tu. Estão cravados na tua pele, em mim. Como sangue a percorrer as minhas veias, como as doces loucuras que já fizemos. Como as palavras que dissemos e as que ficaram por dizer e as que ainda virão. Palavras, letras do que somos.

Olho a janela. O mundo lá fora. A vida. No silêncio de ti. Procuro-te por entre as gotas da chuva, o arco-íris, o teu respirar melódico e melancólico. O infinito. Procuro respostas. Como se perde este medo?

Nunca. A palavra Amor contempla o medo, e tudo o que dele faz parte. Angústias, desilusões, desgostos, ciúmes e traições.

Todos os dias acordo com medo de te perder.

E abraças-me…

Sem comentários:

Publicar um comentário