terça-feira, 8 de outubro de 2019

O PEQUENO RABIRRUIVO, de Vanessa Lourenço















Estava a arrancar ervas no jardim, lutando estoicamente com as urtigas que teimavam em não sair da terra sem dar luta, quando ele apareceu. A princípio mal dei por ele, porque felizmente na nossa zona existem imensas aves, o que se traduz em visitas constantes. Mas o pequeno rabirruivo era diferente, ele estava ali com um propósito. Pousado nos ramos mais baixos de uma das nossas árvores, parecia anormalmente confortável com a minha presença. Franzindo o sobrolho, endireitei as costas com um esgar sofrido, e olhei-o com mais atenção: era um pequeno passarinho negro com o topo da cabeça de um cinza metálico, munido de uma zona traseira inconfundivelmente laranja. Reparei em como era bonito, mas acima de tudo, como ainda não tinha fugido apesar da proximidade comigo. Por fim, cantou para mim. E quando eu tentei desajeitadamente imitar a vocalização, inclinou a cabecinha de lado, como se compreendesse. Ri. Que engraçado seria, se conseguíssemos compreender-nos! Ri de novo, e voltei costas para regressar à batalha com as urtigas e os pulsos doridos. Durante uns minutos, ele continuou a cantar, e eu continuei disciplinadamente a responder-lhe. Por fim, calou-se, e voltei-me para trás para confirmar que se tinha ido realmente embora. Só que não tinha. Encontrei a pequena ave pousada no chão, a poucos metros de distância, olhando-me. Sem me aproximar, e ainda com as mãos cheias de urtigas, perguntei: 

- Posso fazer alguma coisa por ti?

Saltitou sobre a terra remexida, e apanhou um pequeno insecto que rapidamente engoliu, antes de responder:

- Podes. Podes, de hoje em diante, não duvidar de ti diante de tudo aquilo que te parece impossivel. Podes acreditar que se decidires falar-nos com o coração, nós vamos ouvir. Podes decidir que és muito mais do que aquilo em que a tua sociedade decidiu transformar-te. Podes decidir nunca te contentares com menos do que aquilo que faz o teu coração sorrir. Conta-lhes, que te ouçam! Que é possivel conversar com um pequeno rabirruivo, que é possivel vencer a distância que nos separa, que é do outro lado da dúvida e dos "o que deve ser" que podemos ser realmente felizes!

Sem comentários:

Publicar um comentário