sábado, 12 de outubro de 2019

ANJOS DE PAZ, de Mafalda Pascoal















Sabendo e não sabendo
Andando e parando
Vendo e cegando
Incansavelmente
Todos os ciclos se vão cumprindo
Emendando aqui
Remendando acolá
Aconchegando mais ali
Incansavelmente
Todo o trabalho se vai fazendo
e que trabalho!!!
Andando à velocidade mais que luz
Inimaginável
Tanto, tanto serviço a ser feito
e tantos estragos
que nós fazemos
E incansavelmente
E inabalavelmente
Essas criaturas continuam
(Graças a Deus!)
Prestando serviço humildemente
Pacificadores acima de tudo
Continuando
Espalhando luz
Ao seu toque tudo cintila
Tudo fica numa mistura de azul mais branco
Num tom cor de gelo
(que de gélido nada tem)
Todas as cores de tudo
Ficam com mais vida
Toda a luz mais reluzente
Tudo mais leve
Mas depressa acaba
Porque nós assim o queremos
Na nossa ignorância
Na nossa ingenuidade
Na nossa maldade
Sem nos apercebermos
Tudo nos foge por entre os dedos
E incansávelmente
Eles continuam
Porque inabalavelmente
Eles serão sempre
Anjos de Paz.

Sem comentários:

Publicar um comentário