quinta-feira, 31 de março de 2016

[Crime] Simula ter sido assaltado para oferecer tablet à esposa

Um indivíduo do sexo masculino, com 30 anos de idade, foi constituído arguido pela Diretoria do Norte da Polícia Judiciária, por ter simulado haver sido vítima de um crime de roubo em plena via pública, sob ameaça com arma de fogo, em Vila do Conde, tendo formalizado queixa-crime neste mesmo sentido junto da GNR, no dia 29 de Março de 2016.


 A pretensa vítima de assalto procurou fazer crer às autoridades que havia sido assaltado por dois indivíduos, os quais o coagiram a entregar um saco de sua propriedade no interior do qual estariam vários objectos de sua propriedade.

Após investigação da ocorrência por parte da Polícia Judiciária, acabou por ser demonstrada a falsidade do relato e da queixa apresentada junto da GNR, tratando-se de simulação de crime.
O propósito do homem, através da simulação do crime de roubo era obter, de forma indevida, o pagamento de compensação por parte de seguradora, em relação a um tablet (alegando que o gadget se encontrava dentro do saco que fora subtraído), podendo, assim, adquirir um aparelho semelhante para ofertar à esposa, numa tentativa rebuscada e, algo desesperada, de melhorar o seu relacionamento conjugal.

Texto: Isabel de Almeida

Foto: Zona Rural - Direitos Reservados



Sem comentários:

Publicar um comentário